Manual do Usuário

Módulo Pacientes


AGHU Ebserh
 

 

 

1. Pesquisar paciente

Para cadastrar o paciente é necessário realizar, anteriormente, uma pesquisa para verificar se este já possui prontuário e/ou registro de atendimento.

Para iniciar uma pesquisa de paciente é preciso acessar o menu Pacientes, e em seguida clicar em Pesquisar Pacientes.

Pesquisar Paciente

Existem duas formas de pesquisar o paciente. A primeira forma é utilizada quando se tem o número do prontuário do paciente ou o número do código (número gerado para todos os pacientes cadastrados, independente de prontuário).

Inserir uma das duas numerações e clicar no botão Pesquisar.

Pesquisar

A segunda forma é utilizada quando se tem apenas o nome do paciente, que será digitado no campo referente a ele, e em seguida em Pesquisa Fonética. Caso queira restringir ainda mais a pesquisa, insira o mês e ano de nascimento e ainda, caso queira, o nome da mãe. Para evitar cadastros duplicados é muito importante conferir o nome da mãe e a data de nascimento do paciente, pois podem haver homônimos.

Pesquisar Pacientes

Se localizado o paciente pesquisado, clicar no ícone Lápisafim de detalhar o cadastro, conferir e, se necessário, complementar as informações. Caso o paciente não tenha sido localizado, clicar no botão incluir Paciente.

Caso a pesquisa fonética retorne apenas um registro e o nome informado no campo de pesquisa seja idêntico ao nome cadastrado no sistema, automaticamente a aplicação irá redirecionar para tela de edição deste paciente, visando agilizar o atendimento através da redução de cliques.

2.Inclusão de Pacientes

Ao abrir a tela para incluir um novo paciente, o check box “Gera Prontuário” deverá ser assinalado quando for gerado um prontuário físico. O campo código é gerado automaticamente pelo sistema, tanto para cadastros básicos quanto para emissão de novos prontuários.

Dados Pessoais: Preencher os campos conforme o solicitado com base em um documento do paciente com os dados pessoais (nome, nome social, sexo, cor, estado civil, filiação, data de nascimento, nacionalidade e naturalidade,
grau de instrução e profissão, entre outros).

Dados Pessoais

Após o preenchimento dos dados pessoais, cadastrar o endereço do paciente. Inserir o município e o número do CEP. Os demais dados serão preenchidos automaticamente, necessitando complementar apenas com o número da residência e complemento, se houver. Selecionar o tipo, sendo que um e apenas um dos endereços cadastrados, obrigatoriamente, precisa ser do tipo “Residencial”, após clicar em Adicionar .

Endereços

Caso o endereço do paciente não tenha sido encontrado, será necessário configurar o parâmetro "P_AGHU_LIBERA_CADASTRO_ENDERECO" para liberar o checkbox “Não Localizei o Endereço”. Esta opção viabiliza o preenchimento livre dos campos para preechimento do endereço.

Para alterar a configuração do parâmetro, acesse:

 

Após inserir o parâmetro  "P_AGHU_LIBERA_CADASTRO_ENDERECO", você pode clicar no ícone  para editar a configuração, e no campo inserir "S" para habilitar o cadastro livre de endereços ou "N" para desabilitar.

 

Após configurar o parâmetro, clique no checkbox “Não Localizei o Endereço”, inserir o Município, o CEP (neste caso, pode ser o CEP geral da localidade), o Logradouro, número, complemento, bairro, tipo e correspondência. Após a inserção dos dados, clicar em Adicionar.

 

Endereço não localizado

Insira os dados da documentação apresentada, sendo que uma vez registrado o número do RG, deverá ser registrado, também, o órgão emissor, Unidade da Federação e a Data de emissão do documento.

Clique no check box “Documentos Apresentados” se no momento do cadastro o paciente tiver apresentado a documentação. Caso contrário, deixe o checkbox vazio, para que o sistema solicite atualização do cadastro, no retorno do paciente.

Documentos

Registre os outros documentos.

Outros documentos

No campo Observação, inserir informações, que o colaborador julgue necessário, pertinentes ao fluxo do hospital. 

Observação

Concluído o preenchimento do cadastro clicar em Gravar em seguida em Cancelarpara retornar.

 

3.Outras funcionalidades

Ao concluir o cadastro, o sistema gera algumas possibilidades na parte superior da tela.

Convênios: Caso o hospital possua outro convênio além do SUS, selecione Adicionar convênios para cadastrar os planos de saúde que o paciente possui, concluído clicar em Adicionar depois em Gravar e em Cancelarpara retornar.

Convênios

Imprimir Boletim: Clicar em para gerar o um documento
com os dados cadastrais do paciente para o mesmo ou responsável
confirmar e assinar. Para encaminhar o documento de impressão pressione
o símbolo impressora.

Visualizar Histórico: Apresenta quem realizou a operação bem como dados dos últimos eventos dos pacientes em relação a internação, procedimentos, consultas e exames.

Visualizar Histórico

Dados Adicionais: Será preenchido com dados do recém-nascido nos casos de partos na instituição. Concluído clicar em Confirmar e em seguida em Cancelar para retornar à tela.

Dados Adicionais

4.Internar

4.1 Solicitar Internação

Será informado os dados para a internação. Após, clicar em Gravar e após em Cancelar.

Solicitar Internação

5. Atendimento Externo

Preencher os dados, quando realizar um atendimento externo. Clicar em Gravar e posteriormente em Cancelar.

Atendimento Externo

6. Substituir prontuário

Acesse o menu Pacientes em seguida prontuário e substituir prontuário.

 

Preencha o número do prontuário que deseja substituir e clique em

Selecione o botão para finalizar o procedimento

 

7. Liberar prontuário

Após a substituição é preciso liberar o número de prontuário que não será mais utilizado, para isso acesse o menu Pacientes, em seguida prontuário e liberar prontuário.

 

 

Pesquise o prontuário que deseja liberar e clique no ícone

Selecione o botão para finalizar o procedimento.

 

 

 

8. Migrar Pacientes

1. Introdução 

A solução de Migração de Pacientes do AGHU visa facilitar e simplificar o processo de importação dos pacientes de sistemas legados dos Hospitais durante a pré-implantação. Anteriormente este processo era realizado de forma manual, o que possibilitava margem a falhas e inconsistência de dados, além de ser extremamente oneroso.

Os objetivos do processo são:

  • Carregar no banco do AGHU os principais dados dos pacientes do sistema legado.
  • Gerar e acrescentar o dígito verificador do prontuário (quando o paciente já tiver prontuário).
  • Realizar a criação dos fonemas dos pacientes (nome do paciente, nome social, nome da mãe). Os quais são utilizados na pesquisas fonéticas. Agilizando a localização do paciente no Sistema.

 

 2. Pré requisitos

Essa solução têm como pré-requisito a criação de um arquivo “.csv”, contendo as informações de cada paciente. O “Arquivo de Importação (SEM ENDEREÇO)” no anexo demonstra uma linha de exemplo. Cada linha do arquivo deve conter as informações de um paciente, com os valores separados por ponto e vírgula (;).

 

 3. Campos obrigatórios

Dentre os campos obrigatórios para preenchimento do “Arquivo de Importação .csv” estão:

  • Prontuário;
  • Nome da mãe e,
  • Data de nascimento.

 

 4Descrição dos campos do arquivo de importação

prontuário: campo   de  valor  numérico  (inteiro). Pode ser maio do que 8999999 porque ao adicionar o dígito verificador o número excederia os 9000000, que no AGHU é uma faixa destinada a números de prontuários virtuais (utilizados para recém-nascidos, etc).

 

nome: informação do nome  completo do paciente. Este campo é de valor texto e não pode exceder 50 caracteres. Não deve possuir caracteres especiais como: ”-”, “/” entre outros.

Este campo é obrigatório.

 

nome_mãe:  informação do nome completo da mãe do paciente. Este campo é de valor texto e não pode exceder 50 caracteres. Não deve possuir caracteres especiais como:”-”, “/” entre outros.

Este campo é obrigatório.

 

dt_nascimento: informação da data de nascimento do paciente  no  deve estar no formato: aaaa-mm-dd hh:mm:ss.

É importante que a data respeite este formato mesmo que não haja a informação do horário (neste caso informar 00:00:00).

Exemplo: 1995-12-25 00:00:00.

Este campo é obrigatório.

 

cdd_codigo: informação do código da cidade de naturalidade do paciente. Para como proceder com este campo ver o item 6 deste manual.

 

cpf: informação do CPF do paciente. Este campo é numérico e não pode exceder 11 dígitos. Não deve possuir caracteres especiais, somente números. Se este campo for informado no arquivo, o CPF será validado pela aplicação.

 

nac_codigo:  informação do  código  da  nacionalidade  do  paciente. Para   como proceder com este campo ver o item 6 deste manual. Campo não obrigatório.

 

cor: informação da cor do paciente. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação da cor um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • B    para cor branca
  • P  –  para cor preta
  • M  para cor parda
  • A  –  para cor amarela
  • I     para indígena

 

sexo:  informação do  sexo  do  paciente. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação do sexo um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • M –  para masculino
  • F  –  para feminino
  • I   –  para  ignorado

 

grau_instrucao: informação do grau  de  instrução  do  paciente. Campo de valor numérico.  Para a informação do grau de instrução um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • 1  para primeiro grau completo
  • 2  –  para segundo grau completo
  • 3   para superior
  • 4   para nenhum
  • 5   para ignorado
  • 6  –  para primeiro grau incompleto
  • 7   para segundo grau incompleto
  • 8   para superior incompleto.

 

nome_pai: informação do nome completo do pai do paciente. Este campo é de valor texto e não pode exceder 50 caracteres.

 

estado_civil: informação do estado civil do paciente. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação do estado civil um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • C  –  para casado
  • S  –  para solteiro
  • P  –  para desquitado ou separado judicialmente
  • D  –  para divorciado
  • V  –  para viúvo
  • O  –  para outro

 

sexo_biologico: informação do sexo de nascimento do paciente. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação do sexo biológico um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • M  –  para masculino
  • F   –  para feminino
  • I    –  para ignorado

 

observação: Campo para informar qualquer  tipo  de dado complementar do  paciente, conforme a  necessidade. Este campo é de valor texto e não pode exceder 240 caracteres.

 

ddd_tel_res:  informação do DDD do telefone residencial do paciente. Campo de valor numérico de no máximo 4 dígitos.

 

numero_tel_res: informação do número do telefone residencial do paciente. Campo de valor numérico de no máximo 10 dígitos.

 

nro_cartao_sus:  informação do número do cartão sus do paciente. Campo de valor numérico (tipo BigInteger). Se este for informado será validado e só será migrado se estiver de acordo com o formato numérico do identificador do cartão SUS.

 

rg: informação do número do RG do paciente. Campo de valor texto de no máximo 20 caracteres.

 

id_sistema_legado:  informação do código do paciente do  sistema  legado.

O objetivo deste campo é de guardar o código (ou prontuário) que o paciente possuía em seu sistema de origem para fim de eventuais comparações e atualizações que possam ser requeridas no futuro. Campo de valor numérico (tipo Long). (Somente números).

 

codigo: informação do código do paciente do sistema  legado. O objetivo deste campo é o mesmo do id_sistema_legado, porém, quando solicitado migrar este campo, a ferramenta já irá popular a própria coluna código da tabela de pacientes, não sendo gerado neste caso um código novo para os pacientes migrados (que tiverem este campo populado é claro). Campo de valor numérico (tipo Integer). (Somente números).

 

 5. Campos de endereço

Os campos a seguir somente serão processados se a caixa de marcação (checkbox) estiver marcada, ou seja, o “Arquivo de importação csv” utilizado deve ser o de 31 colunas (com endereço).

Os campos:

  • CEP ENDERECO CADASTRADO
  • NRO LOGRADOURO CADASTRADO
  • COMPLEMENTO CADASTRADO;
  • ENDERECO PADRAO (S OU N)
  • CODIGO MUNICIPIO NAO CADASTRADO
  • CEP NAO CADASTRADO
  • LOGRADOURO NAO CADASTRADO
  • BAIRRO NAO CADASTRADO

 

Também somente serão processados se o “CEP_ENDERECO”, for informado no arquivo.

Se o CEP_ENDERECO informado não for localizado na base do AGHU, o dado de endereço do paciente será migrado como Endereço não cadastrado (incompleto) o qual poderá ser atualizado no futuro.

cep endereco cadastrado:  informação do  número do  cep  do  endereço do paciente. O Campo é de valor inteiro (somente números).  Exemplo: 90035903. O Valor informado deve existir na base do AGHU, (tabela AIP_BAIRROS_CEP_LOGRADOURO do AGHU), caso contrário, o dado de endereço do paciente será migrado com o Endereço não cadastrado (incompleto) o qual poderá ser atualizado no futuro.

Esse campo é obrigatório para que a migração do endereço funcione corretamente.

nro logradouro cadastrado:  informação do número do logradouro (casa, prédio, etc). Campo de valor inteiro. Exemplo: 567.

 

complemento_endereco cadastrado: informação do complemento do endereço (apartamento,  referência,  etc). Campo de valor texto de no máximo 200 caracteres.

 

Este campo é obrigatório caso o “CEP_ENDERECO” não seja informado.

Em caso de não haver a informação colocar: ˜nao informado˜

Endereço padrão:  indicador se o  endereço  informado é  de correspondência ou não. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação deste campo um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • S  –  sim
  • N  –  não

Campo não obrigatório, porém caso nada seja informado o valor default será “N”.

codigo_municipio: informação do código  do município do endereço. Deve ser um código existente na tabela AIP_CIDADES do AGHU.

Este campo é obrigatório caso o “CEP_ENDERECO” não seja informado.

cep_nao cadastrado:  informação do  CEP  do  município do  endereço. Deve ser um cep existente no AGHU (possuir registro na tabela V_AIP_LOCALIDADES_UC). Campo é de valor inteiro (somente números). 

Exemplo: 90035903

cep_municipio:  informação do  CEP  do  município do  endereço. Deve ser um cep existente no AGHU (possuir registro na tabela V_AIP_LOCALIDADES_UC). Campo é de valor inteiro (somente números). 

Exemplo: 90035903

Este campo é obrigatório caso o “CEP_ENDERECO” não seja informado.

logradouro:  informação do  logradouro do  endereço. Este campo é de valor texto e não pode exceder 120 caracteres.

Este campo é obrigatório caso o “CEP_ENDERECO” não seja informado.

 

bairro: informação do bairro do endereço. Este campo é de valor texto e não pode exceder 100 caracteres.

 

numero_endereco:  informação do número do logradouro (casa, prédio, etc). Campo de valor inteiro. Exemplo: 567.

Este campo é obrigatório.

 

complemento_endereco: informação do complemento do endereço (apartamento,  referência,  etc). Campo de valor texto de no máximo 200 caracteres.

 

correspondência_endereco:  indicador se o  endereço  informado é  de correspondência ou não. Campo de valor texto de apenas 1 caractere. Para a informação deste campo um dos valores abaixo deve ser escolhido:

  • S  –  sim
  • N  –  não

Campo não obrigatório, porém caso nada seja informado o valor default será “N”.

Caixa de texto: Observação: o endereço do paciente NÃO SERÁ migrado nas seguintes situações: 1. Se o campo “CEP_ENDERECO” não for informado ou encontrado no AGHU e um dos seguintes campos também não for informado: “CODIGO_MUNICIPIO”, “CEP_MUNICIPIO”, “LOGRADOURO”. 2. Se o campo “CEP_ENDERECO” não for informado ou encontrado no AGHU e o código informado no campo “CODIGO_MUNICIPIO” não existir na tabela AIP_CIDADES ou o número informado no campo “CEP_MUNICIPIO” não existir na tabela V_AIP_LOCALIDADES_UC

Observação: o endereço do paciente NÃO SERÁ migrado nas seguintes situações:
- 1. Se o campo "CEP_ENDERECO” não for informado ou encontrado no AGHU e um dos seguintes campos também não for informado: “CODIGO_MUNICIPIO”, “CEP_MUNICIPIO”, “LOGRADOURO”;
- 2. Se o campo  “CEP_ENDERECO” não for informado ou encontrado no AGHU e o código informado no campo “CODIGO_MUNICIPIO” não existir na tabela AIP_CIDADES ou o número informado no campo “CEP_MUNICIPIO” não existir na tabela V_AIP_LOCALIDADES_UC.   

 

 6. Tabelas AIP_NACIONALIDADES AIP_CIDADES

 

O AGHU atualiza suas tabelas aip_nacionalidades e aip_cidades esporadicamente de acordo com as bases dos correios.  Os valores cdd_codigo e nac_codigo do paciente, quando informados, devem receber o código equivalente destas tabelas do AGHU. Para informar nacionalidade “BRASILEIRO”, por exemplo, deve ser informado o código 10 (de acordo com o respectivo registro na tabela aip_cidades).  
A solução  proposta para  resolver este problema é:

 

  • Tabela AIP_NACIONALIDADES: Como essa tabela possui um número de registros relativamente baixo (327) e é pouco provável que haja muitos pacientes estrangeiros, disponibilizamos todas as nacionalidades e seus códigos em uma tabela no Anexo A. Para todos os pacientes brasileiros informar sempre o código 10 e caso algum seja estrangeiro olhar na tabela o código correspondente para informar.

 

  • Tabela AIP_CIDADES: A informação da naturalidade (campo cdd_codigo) é um pouco   mais complexo em virtude de existirem mais de 10.000 naturalidades diferentes e muitos pacientes terem naturalidades diferentes.

Para este caso sugerimos uma solução mais arrojada, porém é preciso que as cidades do sistema legado possuam
código do IBGE.

 

  • No Anexo B colocamos o script de criação da tabela aip_cidades e todos os inserts estão contidos no arquivo “inserts   aip_cidades”. Recomendamos os seguintes passos:

 

  1. Criar a tabela no banco do sistema legado;
  2. Rodar os comandos de inserts para popular a tabela;
  3. Relacionar as cidades do sistema legado com os dados do AGHU por intermédio do código do IBGE para desta forma conseguir inserir o código no campo cdd_código do arquivo csv.

 

 

 7. Modo de uso

 

Após a criação do arquivo “.csv”, os passos para a migração dos pacientes são os que seguem:

 

  • No AGHU, acessar o menu: Pacientes Prontuário Migrar Pacientes;

 

 

  • Na tela de Migração de Pacientes clique no botão “Adicionar Arquivo de Pacientes”.

 

  • Após escolher o arquivo “.csv” desejado, clique no botão “Carregar”. Isto irá carregar em memória os registros do arquivo (conforme imagens abaixo):

 

 

  • Informar o caractere separador (deve ser o caractere utilizado para separar os valores dos campos no arquivo .csv). Normalmente utilizado o ponto-e-vírgula.

 

  • Por fim clicar em “Importar Arquivo de Pacientes”. Isto irá iniciar a importação dos dados.

 

 

  • A importação de dados pode levar algumas horas (dependendo do número de pacientes). Durante este processo é validado se todas as linhas do arquivo respeitam o formato exigido pela ferramenta e também se todos os valores informados estão de acordo com as regras definidas neste documento. Ao final do processo, caso tudo tenha ocorrido normalmente, o sistema exibirá a mensagem de sucesso conforme a imagem abaixo:

 

 

  • Observar sempre que possível a seção “Log de Importação”. Caso algum problema ocorra durante a importação, uma mensagem será exibida neste local alertando da linha e o campo do arquivo em que o problema ocorreu.

 

 

IMPORTANTE:  Sempre que um erro for detectado e exibido no log, a importação será interrompida. Quando isto ocorrer o usuário deverá verificar a linha em que o problema aconteceu, corrigir o problema com o respectivo dado e APAGAR do arquivo todas as linhas anteriores a esta (ou mandar um novo arquivo iniciando a partir desta linha) pois estas já foram persistidas no banco e caso sejam mandadas novamente poderão ficar duplicadas (caso não possuam prontuário).

 8Opções para migração de pacientes

 

É permitido ao usuário a utilização de alguns recursos específicos no momento da migração conforme a figura abaixo:

 

Estes recursos são:

 

  • Anular prontuários inválidos: quando marcado, este recurso irá automaticamente anular os prontuários que tiverem valor incompatível com o AGHU (maiores que 8999999), de forma que estes pacientes serão migrados sem prontuário.

 

  • Nome da mãe não informado: ao marcar este recurso, o sistema incluirá “NÃO INFORMADO” no campo “NOME_MAE” de pacientes que contiverem este campo vazio. (Removendo a obrigatoriedade desse campo)

 

  • Gerar Fonemas: marcando esta opção ao realizar a   migração de pacientes os fonemas do Nome do Paciente, Nome da Mãe, e Nome Social serão gerados e gravados nas respetivas tabelas de fonemas. Não é recomendado a marcação desta opção para uma migração de um arquivo    com mais de 500 pacientes pois ocasionar a ocorrência de alguns erros (além da diminuição de performance).

 

  • Migrar Endereços: esta opção deve ser marcada quando deseja-se migrar    também o endereço de cada paciente (.CSV com 31 Colunas (COM ENDERECO) (obviamente o arquivo “.csv” deve conter para cada paciente as informações adicionais requeridas para o endereço).

 

  • Não Tratar os prontuários: Ao marcar essa opção, os prontuário que estão na casa a cima de 9000000 (Prontuários maior que NOVE MILHOES), não passarão por validação.

 

 9. Informações importantes

 

Atentar para as seguintes regras:

FORMATO DO ARQUIVO CSV

É importante que o caractere separador de campos no arquivo csv não apareça no conteúdo de nenhum dos campos pois o sistema irá se perder na quantidade de campos e acusará erro.

Conforme visto anteriormente, alguns campos são obrigatórios e outros opcionais.   Caso não haja valores a serem informados nos campos opcionais, deve-se deixar estes campos vazios (não colocar nem espaço em branco), ou seja, o ponto e vírgula seguinte virá imediatamente após o anterior:

 

Caixa de texto: Exemplo1 – Campo CPF com valor: uf_sigla;73505392235;nac_codigo Exemplo2 – Campo CPF SEM valor: uf_sigla;; nac_codigo

  • Exemplo 1 – Campo CPF com valor:  uf_sigla;73505392235;nac_codigo
  • Exemplo 2 – Campo CPF SEM valor:  uf_sigla;; nac_codigo

 

 

Exceção:  A regra acima diferente para os campos de início e fim do arquivo. Para estes campos, caso não haja valor a ser informado, um novo ponto e vírgula deverá ser acrescentado.

 

  • Exemplo 1 – Campo prontuário com valor:               125468;nome;nome_mae
  • Exemplo 2 – Campo prontuário SEM valor:   ;;nome;nome_mae
  • Exemplo 3 – Campo observação com valor:  sexo_biologico;Teste
  • Exemplo 4 – Campo observação SEM valor:  sexo_biologico;;

 

 

Caixa de texto: Exemplo1 – Campo prontuário com valor: 125468;nome;nome_mae Exemplo2 – Campo prontuário SEM valor: ;;nome;nome_mae Exemplo3 – Campo observação com valor: sexo_biologico;Teste Exemplo4 – Campo observação SEM valor: sexo_biologico;;

Observação: se utilizado o arquivo com endereço o último campo passa a ser “CORRESPONDÊNCIA_ENDERECO” (ao invés de observação).

Conforme visto, não esquecer que a data deve ser obrigatoriamente informada no formato: aaaa-mm-dd hh:mm:ss.

 

 10Durante a migração

 

Após clicar no botão “Importar Arquivo de Pacientes”, espere sempre a execução do processo até o final. Não clique em nenhum outro botão em tela e nem feche aba até que a execução tenha terminada (ou interrompida por algum erro).

Caso algum erro tenha ocorrido durante a execução, e tenha sido reportado no campo “Log da Importação”, clique no botão “Limpar” para reiniciar a tela (após ter corrigido o problema no arquivo e retirados os registros anteriores).

Caixa de texto: SELECT Count(*) FROM agh.aip_pacientes WHERE criado_em > ‘#DATA_DE_INICIO_DA_MIGRACAO#’; Exemplo: SELECT Count(*) FROM agh.aip_pacientes WHERE criado_em > ‘2015-02-29 00:00:000’ Aconselha-se verificar eventualmente no banco se o número de pacientes está aumentando na tabela aip_pacientes através da seguinte query: 

 

SELECT Count(*) FROM agh.aip_pacientes WHERE criado_em > ‘#DATA_DE_INICIO_DA_MIGRACAO#’;

 Exemplo:

SELECT Count(*) FROM agh.aip_pacientes WHERE criado_em > ‘2015-02-29 00:00:000’

 

Ignorar algumas mensagens em vermelho que podem aparecer como por exemplo na imagem abaixo. Se o sistema continuar migrando normalmente (monitorar no banco de dados) não há problemas.

 

É Recomendado que a migração de pacientes seja feita sempre em três etapas (e sempre com acompanhamento da equipe de Sustentação do AGHU), conforme segue:

  • Etapa1: Migrar todos os pacientes existentes sem a criação de fonemas (solicitar à equipe de Sustentação que desabilite a fonetização na migração).

Sugerimos que esta etapa seja realizada em partes com arquivos de no máximo 200 mil pacientes.

Por exemplo: se o hospital possui um total de 700 mil pacientes criar três arquivos com 200 mil pacientes e um com os 100 mil restantes e executar cada um por vez.

 

  • Etapa2: Solicitar à equipe de Sustentação que rode a   função de refonetizar todos os pacientes no banco.

 

  • Etapa3: No último dia antes do AGHU entrar em produção no hospital, migrar com criação de fonemas (solicitar a ativação da fonetização) os pacientes que foram admitidos após a migração da Etapa1.

O objetivo desta migração em etapas é otimizar o processo uma vez que a migração sem criação de fonemas é muito mais rápida.