Notícias Notícias

Voltar

19ª Campanha Nacional da Voz e 15º Dia Mundial da Voz

DIA MUNDIAL DA VOZ

19ª Campanha Nacional da Voz e 15º Dia Mundial da Voz

Campanha da ABLV alerta para a importância dos cuidados com a voz e os sintomas que sugerem alterações e doenças vocais. Em Goiás, campanha será realizada com ações de orientação no rádio, emissoras de TV e redes sociais

A voz é a principal ferramenta de comunicação do ser humano. Ela é utilizada como instrumento de trabalho por 70% dos brasileiros, como cantores, atores, locutores, jornalistas, professores, operadores de telemarketing, recepcionistas e muitos outros. Apesar da sua importância, muitas pessoas não se dão conta dos cuidados que devem ter ao longo da vida para manter a sua voz. 
Em razão disso, a Associação Brasileira de Larigologia e Voz (ABLV) realizará a 19ª Campanha Nacional da Voz, uma ação de conscientização da população sobre os cuidados que se deve ter com a voz, os hábitos que mais a prejudicam e os sintomas que sugerem alterações e distúrbios vocais. A campanha será realizada em comemoração ao 15º Dia Mundial da Voz, celebrado oficialmente no próximo domingo, dia 16 de abril.
O professor da Faculdade de Medicina da UFG e otorrinolaringologista do Hospital das Clínicas da UFG Claudiney Cândido Costa alerta que, se a pessoa apresentar tosse e/ou pigarro frequentes; rouquidão por mais de sete dias; dor, ardência ou incômodo na garganta; dificuldade ou dor para engolir; perda de voz, voz fraca ou falhas na voz e dificuldades respiratórias, ela deve procurar o otorrinolaringologista para fazer uma avaliação. "Esses sinais podem indicar alguma doença do trato vocal, como o câncer de laringe que, quando diagnosticado no início, tem possibilidade de cura muito alta, entre 90 e 95%, afirma o especialista.
As doenças laríngeas podem ser  funcionais, ou seja, quando não existe lesão  nas pregas vocais, ou de causas orgânicas, que podem ser  nódulos, pólipos, edema de Reinke, úlcera de contato, granuloma e, por último, as leucoplasias, que são as lesões pré cancerígenas.
O Brasil é um dos países com maior incidência de câncer de laringe, que acometeu, segundo projeções do INCA, cerca de 7.350 pessoas em 2016. A doença é responsável pela incidência de 90 mil mortes por ano no mundo e ocorre predominantemente no sexo masculino, embora venha aumentando o número de mulheres que tem apresentado a doença. "Há algumas décadas, a relação de incidência da doença era de 7 homens / 1 mulher, hoje diminuiu para 5 homens / 1 mulher", afirma Claudiney. Segundo o médico, esse fato ocorre devido à mudança nos hábitos de vida das mulheres, que passaram a fumar e a consumir mais bebidas alcoólicas, fatores esses que, associados, contribuem significativamente para o desenvolvimento de tumores. 
O fumo é considerado o mais importante fator causador do câncer da laringe. Estudos revelaram que o risco de desenvolvimento destes tumores é 14,3 vezes maior em indivíduos que fumam em comparação aos que não fumam. Outros fatores importantes para o desenvolvimento do câncer de laringe são o papiloma virus humano (HPV), que pode ser transmitido sexualmente ou da mãe para o filho no momento do parto, e o refluxo gastroesofágico. O diagnóstico de câncer de laringe é realizado por meio do exame de laringoscopia e confirmado por meio da biópsia da lesão. 
A avaliação teve grande avanço nos últimos 20 anos, com exames endoscópicos que permitem ótima visualização anatômica e funcional da laringe. Os nódulos são muito freqüentes em mulheres, mas tem aumentado este diagnóstico em crianças, pelas caracteristicas  das dimensões da laringe feminina e infantil e pelo comportamento vocal inadequado e abusivo. Os pólipos são mais comuns  nos homens e uma das causas é o abuso vocal durante os períodos de  laringites  virais , alérgicas, etc.
O tratamento pode ser com cirurgia, radioterapia e quimioterapia, dependendo do estágio evolutivo do tumor - tamanho e localização, se tem linfonodos comprometidos e se tem metástase à distância.  O otorrinolaringologista é o profissional responsável pelo diagnóstico da causa da rouquidão e a indicação do tratamento adequado. O trabalho integrado  entre otorrinolaringologista e fonoaudiólogo é fundamental para o sucesso  do tratamento.
Claudiney Cândido Costa ressalta a importância dos cuidados com a voz, como manter-se hidratado, bebendo de oito a dez copos de água por dia; evitar o uso da voz em situações de saúde limitadas, como nos casos de gripe e resfriados; evitar conversas e ligações telefônicas em ambientes muito ruidosos; evitar o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas; evitar o consumo de cafeína (café e chá preto); evitar alimentos condimentados e/ou gordurosos, principalmente à noite; permanecer o menor tempo possível em ambientes com muita poluição, fumaça, pouca ventilação, poeira ou mofo; fazer um período de repouso vocal após uso intensivo da voz; evitar falar rapidamente por longo período; evitar falar enquanto pratica atividades físicas ou carrega peso; usar roupas confortáveis, que não apertem o pescoço, o tórax e o abdômen; reconhecer e evitar sensações de esforço vocal, tais como ardor, tensão no pescoço e falta de ar durante a  fala.
Em Goiás, a 19ª Campanha Nacional da Voz será coordenada pelo otorrinolaringologista do HC-UFG e membro da ABLV, Hugo Valter Lisboa Ramos. A campanha será realizada com ações de orientação e informação sobre os cuidados com a voz no rádio, emissoras de TV e nas redes sociais.

Mais informações no site da ABLV.

Clique aqui para ver o folder informativo da 19ª Campanha Nacional da Voz e 15º Dia Mundial da Voz.

Ascom / HC-UFG