Notícias Notícias

Voltar

Hospital das Clínicas da UFMG vai testar a vacina contra o Zika

Estudo clínico

Hospital das Clínicas da UFMG vai testar a vacina contra o Zika

HC-UFMG irá recrutar voluntários sadios que moram em Belo Horizonte ou região metropolitana para participar do estudo, que terá duração de dois anos

O Centro de Pesquisas Clínicas do Hospital das Clínicas da UFMG, em parceria com a Fiocruz e a Universidade de George Whashington (GWU), dará início ao estudo clínico de uma vacina experimental contra a infecção pelo vírus Zika. Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue, ele é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma emergência de saúde pública, já que existem evidências de que sua presença no organismo pode causar o nascimento de bebês com microcefalia e outros transtornos neurológicos, como a Síndrome de Guillain-Barré. Atualmente, não há cura ou vacina para prevenir a infecção pelo Zika.

Na última semana, o HC-UFMG recebeu a visita do Instituto Nacional de Saúde (National Institutes of Health - NIH) dos Estados Unidos, patrocinador do estudo, para verificação e alinhamento dos procedimentos e treinamentos. O hospital é um dos dois centros brasileiros selecionados para o estudo, que terá duração de dois anos. São 21 centros de pesquisas participantes em todo o mundo.

A vacina recém-desenvolvida não contém o vírus Zika, portanto não transmite a doença. Ela já foi testada em seres humanos e aprovada pelos órgãos de ética médica nacionais e internacionais. Agora, ela será testada em um novo grupo de pessoas com a finalidade de avaliar a sua eficácia e segurança em adultos e adolescentes sadios. De acordo com a pesquisadora-chefe Dra. Flávia Ribeiro, para essa fase de testes serão recrutados voluntários sadios, homens e mulheres entre 15 e 35 anos, que moram em Belo Horizonte ou região metropolitana e que tenham disponibilidade para participar do estudo pelos próximos dois anos.