Notícias Notícias

Voltar

Ciclo de palestras da Sipatma aborda absenteísmo

TRABALHADOR

Ciclo de palestras da Sipatma aborda absenteísmo

Comunicação efetiva, Vigihosp e fluxograma em caso de acidente também foram temáticas do encontro

Depois da realização da Campanha Zero Adorno, que buscou conscientizar os profissionais a respeito dos riscos no uso dos acessórios em ambiente hospitalar; da promoção da ginástica laboral em enfermarias e das orientações em como manter uma alimentação saudável, a III Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho e Meio Ambiente (Sipatma) do Hospital das Clínicas da UFPE iniciou, nesta quarta-feira (13), o seu ciclo de palestras. A abertura foi realizada pelo superintendente do HC, Frederico Jorge Ribeiro, que ressaltou a importância do evento, que a cada ano tem tido maior participação dos colaboradores, e elogiou a temática deste ano, a "Comunicação Efetiva". O ciclo de palestras continua nesta quinta-feira (14), e a programação pode ser acessada aqui.  O Hospital das Clínicas da UFPE é uma unidade vinculada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). 

"Absenteísmo" foi o tema da primeira palestra do dia, ministrada pela médica do trabalho do HC, Gerluci Pinheiro.  “Absenteísmo é ausência do trabalhador no ambiente de trabalho, seja por falta ou atraso. O presenteísmo é a pessoa que vai trabalhar com dificuldade, sem ânimo, desmotivado”, explicou. De acordo com ela, é importante ficar alerta aos sinais do presenteísmo para que não evolua para o absenteísmo. “Em ambos os casos, seja na ausência ou na desmotivação do trabalhador, as repercussões são inúmeras tanto para próprio trabalhador e sua equipe quanto para a instituição e sociedade”. Por isso, de acordo com a médica, ao perceber os sinais, o profissional deve procurar questionar o porquê de estar daquela forma e procurar ajuda, entranhado em contado com o setor de gestão de pessoas da unidade ou até mesmo com o próprio gestor. 

À tarde, a psicóloga organizacional do HC-UFPE, Thássia Leão palestrou sobre a comunicação efetiva. A especialista ressaltou a  importância de se buscar uma comunicação assertiva para as boas relações dentro do espaço de trabalho e também para com os pacientes atendidos. “A comunicação efetiva entre instituição, profissionais de saúde e pacientes é fundamental para a qualidade e segurança na assistência oferecida”, pontuou. Durante a sua apresentação, ela ainda explanou sobre como a comunicação pode se dar de maneira efetiva de modo que todos os envolvidos no processo compreendam e sejam compreendidos. 

Mais duas palestras foram realizadas nesta quarta, dentro da Sipatma, uma sobre Fluxograma dos Riscos de Acidentes com Material Biológico e a outra sobre o Vigihosp, aplicativo de Vigilância em Saúde e Gestão de Riscos Assistenciais hospitalares. 

Imagens:

Texto: Yago Mendes e Raítza Vieira