Notícias Notícias

Voltar

Reunião Científica da UTI vai discutir infecção generalizada

assistência

Reunião Científica da UTI vai discutir infecção generalizada

Os profissionais que atuam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas da UFPE, vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vão participar, na próxima quarta-feira (22), da II Reunião Científica da UTI que tem como tema a campanha “Surviving Sepsis 2016” (Sobrevivendo à Sepse), na Sala de Treinamentos, no térreo do HC, das 19h30 às 21h30.
 
O evento tem como objetivo discutir as melhores formas de tratamento e assistência possíveis ao paciente que chega à UTI com o quadro de infecção generalizada (ou sepse). “Essa é a principal causa de internamento na UTI do HC, respondendo por cerca de 40% dos casos, e por isso é tão importante discutir esse ‘guideline’ com as diretrizes de assistência que se atualizam a cada quatro anos (de 2013 a 2016)”, explica a médica intensivista Michele Godoy, chefe da UTI adulta.
 
A II Reunião Científica da UTI do HC-UFPE é um evento multidisciplinar que terá as palestras da médica intensivista Mara Lisia, às 19h30; do fisioterapeuta Cláudio Albuquerque, às 20h05; e da nutricionista Renata Pereira da Silva, às 20h25. Depois, às 20h45, haverá uma discussão sobre os temas abordados.
 
A campanha Surviving Sepsis é um material produzido por meio de dados e diretrizes, fruto da colaboração entre a Society of Critical Care Medicine (Sociedade de Medicina de Cuidados Críticos) e a European Society of Intensive Care Medicine (Sociedade Europeia de Medicina  Intensiva) que tem como objetivo reduzir a mortalidade por sepse grave e choque séptico no mundo. A infecção generalizada traz um grave risco ao paciente já que um agente infeccioso (bactérias, vírus ou fungo) entra na corrente sanguínea.
 
Sobre a Ebserh  -  A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.
Texto: Moisés de Holanda