Hospital de Clínicas

da Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Regimento Interno Regimento Interno

Regimento Interno Infusional

Regimento do Time de Terapia Infusional do Hospital de Clínicas da UFTM


Capítulo I
Das Disposições Preliminares, Objetivos, Características


Art. 1.º Este regimento define as normas de funcionamento do Time de Terapia Infusional do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, diante da necessidade de melhoria da assistência prestada aos clientes, se atentando a um cuidado seguro, à redução do índice de infecções de corrente sanguínea (ICS), relacionadas ao cateter e,
consequentemente, à redução dos custos.


Art. 2.º A Terapia Intravenosa (TIV) é um recurso bastante utilizado atualmente na assistência aos clientes, sendo que a maioria é usuária dessa prática no ambiente hospitalar, entretanto, é passível de eventos adversos quando incorporada à assistência sem nenhuma supervisão.


Art. 3.º É fundamental a padronização da TIV, se atentando aos novos dispositivos que surgem diariamente no mercado, testando-os e utilizando-os com a finalidade e manutenção corretas.


Art. 4.º A criação de uma equipe multidisciplinar e multiprofissional específica e habilitada para inserção e manutenção de cateteres, seguindo protocolos institucionais, pode levar à diminuição dos índices de ICS, demais eventos adversos e dos custos, associada a uma melhor qualidade da assistência prestada.


Art. 5.º O TTI tem como objetivos:
I - elaborar protocolos para indicação, inserção, manutenção, retirada e manejo de complicações relacionadas aos dispositivos vasculares;
II - realizar inserções de Cateter Central de Inserção Periférica (PICC);
III - realizar treinamento com equipes de saúde;
IV - capacitar e habilitar enfermeiros insertadores de PICC;
V - realizar auditorias setoriais identificando e atuando em possíveis eventos adversos;
VI - reduzir o índice de infecção de corrente sanguínea relacionada ao cateter. 

Capítulo II
Das Finalidades


Art. 6.º São finalidades do TTI:
I - melhorar a assistência prestada ao cliente usuário de terapia intravenosa;
II - levantar indicadores de qualidade relacionados à TIV e atuar nos possíveis eventos adversos.


Capítulo III
Da Composição e Mandato


Art. 7.º O TTI será multidisciplinar e multiprofissional, nomeado e composto por membros do quadro funcional do HC-UFTM em portaria da Superintendência:
I - uma enfermeira, coordenadora;
II - um representante do serviço de nutrologia;
III - uma enfermeira, representante da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH);
IV - duas enfermeiras, representantes do Serviço de Educação em Enfermagem (SEE);
V - uma enfermeira, responsável pela Divisão de Enfermagem;
VI - uma médica, responsável pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica;
VII - uma médica intensivista da UTI Pediátrica;
VIII - um médico, representante da Cirurgia Pediátrica;
IX - um médico, responsável pela UTI Adulta;
X - três médicos intensivista da UTI Adulta;
XI - um representante da Comissão de Padronização de Materiais;
XII - um representante da Unidade de Dispensação Farmacêutica.


Capítulo IV
Das Competências


Art. 8.º Compete ao TTI:
I- criar protocolos relacionados à TIV e apresentá-los à CCIH e ao SEE para discussão;
II- atuar junto ao Serviço de Padronização de Materiais no teste e habilitação de materiais relacionados à TIV; 
III- atuar junto à Unidade de Almoxarifado para auxílio e elaboração de fluxo de aquisição e liberação dos cateteres vasculares e dispositivos intravenosos.
IV- registrar intercorrências ocorridas durante a realização do procedimento de inserção, manipulação ou retirada do cateter;
V- servir como suporte à equipe de saúde e em assuntos relativos à TIV;
VI- elaborar trabalhos científicos que se relacionem com a TIV;
VII- divulgar resultados obtidos pelo Time.


Capítulo V
Das Atribuições


Art. 9.º São atribuições da enfermeira coordenadora:
I - elaborar protocolos relacionados ao PICC e auxiliar na elaboração e reformulação dos demais cateteres;
II - elaborar ficha de acompanhamento de cateter;
III - auxiliar a aquisição e teste dos dispositivos intravenosos;
IV - avaliar juntamente à equipe médica a indicação do cateter que melhor atende à TIV;
V - capacitar e habilitar um enfermeiro em cada setor do hospital para inserção do PICC;
VI - auxiliar na inserção do PICC em procedimentos mais difíceis ou complexos e realizar a troca do primeiro curativo nesses casos;
VII - auxiliar nas intercorrências ocorridas relacionadas à TIV;
VIII - registrar possíveis intercorrências ou eventos adversos;
IX - elaborar e realizar treinamento com a equipe de saúde;
X - convocar e coordenar as reuniões do TTI.


Art. 10. São atribuições das demais enfermeiras:
I - auxiliar a equipe assistencial na indicação de uso do cateter;
II - auxiliar na elaboração e reformulação dos protocolos relacionados aos diversos dispositivos intravenosos;
III - auxiliar no treinamento com a equipe de saúde;
IV - participar mensalmente das reuniões do Time;
V - auxiliar a aquisição e teste dos dispositivos intravenosos;
VI - auxiliar nas possíveis intercorrências ocorridas relacionadas à TIV.


Art. 11. São atribuições da equipe médica: 
I - auxiliar a equipe assistencial na indicação de uso do cateter ;
II - auxiliar nos estudos em relação à prescrição médica (incluindo interações medicamentosas);
III - auxiliar no treinamento com a equipe de saúde;
IV - participar mensalmente das reuniões do Time;
V - atuar nas possíveis intercorrências ocorridas relacionadas à TIV.


Art. 12. São atribuições do representante da Unidade de Dispensação farmacêutica:
I - auxiliar nos estudos em relação à prescrição médica (incluindo interações medicamentosas);
II - auxiliar na aquisição e teste dos dispositivos intravenosos;
II - participar mensalmente das reuniões do TTI;


Art. 13. São atribuições do representante da Comissão de Padronização de Materiais:
I- atuar junto ao Serviço de Padronização de Materiais no teste e habilitação de materiais relacionados à TIV;
II- atuar junto à Unidade de Almoxarifado para auxílio e elaboração de fluxo de aquisição e liberação dos cateteres vasculares e dispositivos intravenosos.


Capítulo VI
Das Reuniões/Funcionamento


Art. 14. As reuniões serão realizadas em caráter ordinário mensalmente, em dia, local e horário pré-estabelecidos, de acordo com a conveniência de seus membros, em local a ser definido pelo TTI.


Art. 15. As reuniões serão realizadas com a presença de metade mais um dos membros do TTI.

 

Capítulo VII

Das Disposições Finais


Art.16. Este regimento poderá ser modificado no todo ou em parte, por proposta dos membros do TTI, mediante aprovação em reunião convocada para esta finalidade, observado o disposto no artigo 15. 

Art. 17. Os casos omissos serão resolvidos pelo TTI.


Art. 18. O presente regimento entra em vigor na data de sua aprovação e publicação. 

 

 

Publicado no Boletim de Serviço HC-UFTM/Filial Ebserh n.° 56, de 26 de agosto de 2015, p. 73-77