Hospital Universitário - HU-UFJF

Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Atenção à Saúde Atenção à Saúde

Hospital Dia Hospital Dia

Asma

Asma

A asma é uma doença pulmonar crônica que causa falta de ar, chiado no peito, aperto no peito, tosse. Tais sintomas podem se agravar mais à noite e nas primeiras horas da manhã e com exercícios físicos. Pode ser classificada como leve, moderada e grave.

Ainda não se conhece a causa da asma, mas acredita-se que ela é fruto de uma série de fatores, como alérgicos (poeira, ácaros, fungos, polens, pêlo de animais); infecção respiratória viral; irritantes como a fumaça de cigarro e a poluição do ar; variação do clima; alteração emocional; exercícios e alguns medicamentos (aspirina, anti-inflamatório não hormonal, beta-bloqueadores).

- Histórico familiar: pessoas com casos de alergias na família tem predisposição maior para o desenvolvimento de quadros alérgicos, inclusive asma;

- Histórico de alergias: quem tem algum tipo de alergia tem maior predisposição de desenvolver outros tipos, devido à reação excessiva do seu corpo aos estímulos externos;

- Obesidade: desenvolve uma série de processos inflamatórios, aumentando o risco de desenvolvimento de asma;

- Baixo peso ao nascer e hábitos durante a gestação: o bebê prematuro tem maios risco em desenvolver quadros inflamatórios no pulmão, uma vez que este órgão só se forma por completo no final da gestação. Dormir mal, transtorno de ansiedade e depressão são comportamentos durante a gestação que podem aumentar o risco de alergias no bebê;

- Refluxo gastroesofágico: o refluxo pode irritar o esôfago, causando azia e outros sintomas. Se o conteúdo do refluxo for aspirado (ir para os pulmões) pode desencadear uma inflamação e levar a pneumonias, bronquites e asma.

  • Capacidade reduzida de se exercitar e tomar parte em outras atividades
  • Falta de sono devido a sintomas noturnos
  • Alterações permanentes no funcionamento dos pulmões
  • Tosse persistente
  • Dificuldade para respirar que requer ajuda na respiração (ventilação)
  • Hospitalização e internação por ataques severos de asma
  • Óbito

O diagnóstico é realizado por meio da história clínica com a pesquisa dos sinais e sintomas, identificação dos fatores desencadeantes das crises. Alguns exames complementares poderão auxiliar no diagnóstico (radiografia de tórax, exames de
sangue e de pele para constatar se o paciente é alérgico e a espirometria).

A asma não tem cura. O tratamento consiste no uso de broncodilatadores e antiinflamatórios que podem ser usados na forma de nebulização, "bombinha", inaladores de pó seco, comprimido ou xarope. É fundamental ter cuidado com o ambiente (casa e trabalho) identificando e evitando os agentes desencadeantes ou agravantes da crise.

A prevenção das crises poderá ser feita com corticosteróides, os beta2-agonistas de longa duração e os antileucotrienos.

Alguns alimentos devem ser evitados pelos pacientes com asma como doces, chocolates; frituras e alimentos gordurosos; comidas condimentadas e picantes; bebidas gasosas e alcoólicas; alimentos ácidos; frutas cítricas: laranja, limão, abacaxi; leite (exceto os livres de gorduras); vegetais crucíferos como cebola, repolho e brócolis; café.