Notícias Notícias

Voltar

HU-UFJF promove ação educativa alusiva ao Janeiro Roxo

CAMPANHA

HU-UFJF promove ação educativa alusiva ao Janeiro Roxo

Equipe interprofissional em saúde orienta pacientes sobre os riscos de contágio, sintomas e tratamento da Hanseníase

Janeiro é o mês de conscientização e combate mundial à hanseníase. Pensando nisso, a Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) lançou a campanha com o lema “Janeiro Roxo”. O Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF/Ebserh) apoia essa causa e realizou, na última quarta-feira (24), atividades educativas pelo combate à doença, na cidade de Juiz de Fora.

As ações aconteceram na parte da manhã na unidade Dom Bosco e no Posto de Atendimento Médico (PAM) Marechal, no Centro da cidade. A coordenadora do evento, professora da Faculdade de Fisioterapia da UFJF e integrante da equipe do ambulatório de hanseníase Cláudia Mármora destacou a importância da ação. “Essa campanha é importante para conscientizar, esclarecer e desmitificar ideias equivocadas da população sobre a hanseníase. As pessoas precisam ficar atentas, porque a única forma de prevenção é quebrar a cadeia de transmissão. Não há algo que possa prevenir a doença, pois não existe vacina ou um remédio para a hanseníase”, explica a especialista.

A atividade teve espaço para perguntas dos pacientes e acompanhantes que estavam na sala de espera do hospital, como a do Alexandre Bonsanto, de 45 anos. “Perguntei sobre a cor da mancha que tinha dúvida, sempre é bom perguntar sobre algum sinal que aparece em nosso corpo, para cuidar de nossa saúde”. Sobre a mancha na pele, o que é um dos sintomas da doença, Cláudia esclarece: “a mancha pode ser mais clara ou um pouco mais escura em relação a cor da pele e, normalmente, é acompanhada por uma perda de sensibilidade no local e falta de força muscular, assim como dores por conta dos nervos inflamados e também pela aparência da pele muito ressecada”.

O evento foi promovido pela equipe interprofissional do ambulatório de hanseníase e residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto em parceria com o Serviço de referência em Hanseníase do PAM Marechal, que ainda disponibilizou panfletos e folhetos informativos para o público contendo causa, sintomas e tratamento da doença.
SAIBA MAIS

Sobre a Hanseníase

É uma doença infecciosa e contagiosa, que causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. A pele também pode ter alteração da sensibilidade e o paciente não sente (ou tem sensibilidade diminuída) calor, frio, dor e mesmo o toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés, mãos) e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular. A Hanseníase é transmitida por meio das vias respiratórias; tosse e espirro.

O Brasil é o segundo país no mundo com maior incidência, perdendo apenas para a Índia. A enfermidade, que durante séculos foi chamada de lepra, tem cura e quanto antes a detecção da doença for feita, mais eficaz é o tratamento, que é inteiramente gratuito e disponibilizado pelo SUS.
*Informações da Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH)  

No HU-UFJF, na unidade Dom Bosco, o tratamento é oferecido no Centro de Reabilitação em Hanseníase no 1° andar, todas as quartas-feiras.

Bolsista: Franciane Freitas

Imagens: