Sala de Imprensa - Notícias Sala de Imprensa - Notícias

Voltar

Campanha busca promover o diálogo e ampliar a compreensão sobre saúde mental

JANEIRO BRANCO

Campanha busca promover o diálogo e ampliar a compreensão sobre saúde mental

No HU-UFJF/EBSERH, CAPS Liberdade tem papel central no acompanhamento psicossocial

Mobilizar a sociedade para o diálogo e ampliar a compreensão sobre a saúde mental são os objetivos da campanha nacional “Janeiro Branco”, que em 2019 chega à sua 6ª edição. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que, a cada 100 pessoas, pelo menos 30 delas tenham (ou terão) algum tipo de problema relacionado à saúde mental, como depressão, ansiedade e síndrome do pânico. Estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a sociedade brasileira tem experimentado um crescimento no número de casos relativos à saúde emocional, mas, ainda assim, para especialistas a temática é pouco discutida.

“Ainda há muito tabu. A saúde mental é um conceito mais amplo, e vai além das questões biológicas: envolve a vida em sociedade, nossas relações. Por isso, o debate deve ser feito na sociedade como um todo, e não apenas por quem estuda ou já atua na área”, relata a Chefe da Unidade de Atenção Psicossocial, Sabrina Barra.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS Liberdade), Ethelanny Panteleão Leite, o preconceito é um dos grandes dificultadores do acesso aos serviços especializados. “Muita gente não procura atendimento psicológico ou psiquiátrico porque tem medo do rótulo da ‘loucura’. Não é preciso definir uma CID [Classificação Internacional de Doenças] para que o sofrimento seja tratado. Se a pessoa não consegue lidar com ele, é preciso procurar atendimento em um serviço de saúde”, acrescenta.


A campanha

A campanha “Janeiro Branco” foi idealizada pelo psicólogo Leonardo Abrahão justamente para reverter o cenário de tabus e preconceitos. Desde então, a iniciativa tem se consolidado no país. Em Juiz de Fora, a ação foi incluída no calendário do município por meio de lei municipal sancionada em 2017

“Escolhemos o mês de janeiro para mobilização pelo fato de que, em geral, no início do ano as pessoas estão predispostas a pensar sobre as suas vidas em diversos aspectos, e, a cor branca, pois, como em uma tela em branco, queremos incentivá-los a desenhar novas possibilidades em suas vidas”, conclui o idealizador.

 

CAPS Liberdade

No Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF), além dos atendimentos ambulatoriais multiprofissionais, os usuários também têm à disposição o acompanhamento psicossocial realizado pelo CAPS Liberdade. Localizada no bairro São Mateus, a unidade recebe pessoas encaminhadas por cinco Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município: São Pedro, Dom Bosco, Borboleta, Teixeiras e Santos Dumont. Atualmente, o trabalho é realizado por profissionais das áreas de serviço social, psicologia, psiquiatria, terapia ocupacional, enfermagem e odontologia.

“O CAPS é responsável pelo atendimento de transtornos mentais severos e persistentes, conforme a condição da pessoa. O objetivo é oferecer o acompanhamento psicossocial da condição de saúde apresentada, dando autonomia para a vida em sociedade”, explica a chefe da Unidade de Atenção Psicossocial, Sabrina Barra.

Mais informações: (32) 3217-7901.