Nossa História Nossa História

Institucional - História

O INÍCIO

Em 1966 a Faculdade de Medicina do Maranhão foi incorporada a Fundação Universidade do Maranhão - FUM. Na época a mesma não possuía um hospital de ensino próprio. Os estudantes e professores utilizavam a estrutura do Hospital Tarquínio Lopes Filho, conhecido como Hospital Geral, instituição pertencente ao Governo do Estado. A permanência neste Hospital não durou muito, visto que, não existia uma infra-estrutura adequada e havia um conflito de gestão, ocasionando a saída para o Hospital Getúlio Vargas, também do Governo do Estado. Diante dessa situação, os estudantes e professores de medicina da UFMA começaram uma Via Crucis em busca de melhorias para o ensino.

Por volta de 1987 eles se instalaram no Hospital Carlos Macieira - Hospital dos Servidores do Estado (HSE) pertencente ao Instituto de Previdência do Estado do Maranhão – IPEM, com 300 leitos. Considerada uma proposta interessante de co-gestão, porém na prática as decisões não foram colegiadas. O Governo escolhia seus diretores sem a participação da Universidade numa clara demonstração de não valorização da mão de obra especializada ali disponível. O HSE, tinha na direção, a profª Terezinha de Jesus Penha Abreu e na presidência do Conselho Administrativo, o prof. Natalino Salgado Filho. Em decorrência dos problemas enfrentados na gestão, eles mobilizaram a classe com o apoio do Sindicato, iniciando uma greve em busca de um hospital de ensino próprio da Universidade Federal.

A LUTA

Em meio à crise, o prof. Carlos Alberto Salgado Borges, diretor do Centro de Ciências da Saúde da UFMA, vislumbrou a possibilidade dos hospitais do Instituto Nacional da Assistência Médica e da Previdência Social – INAMPS, órgão que estava sendo extinto, passarem para a administração da UFMA.  Para viabilizar a ideia foi nomeada, no âmbito do Centro de Ciências da Saúde, uma Comissão para preparação de um projeto de aquisição dos hospitais do INAMPS composta pelos professores: Antonio Rafael da Silva, na época coordenador do Curso de Medicina; Terezinha de Jesus Penha Abreu; Maria Honorina Cordeiro Lopes; Rose Marie de Jesus Jácome Castelo Gomes e presidida pelo prof. Natalino Salgado Filho.

Além dessa Comissão, foi feito um ofício ao presidente do INAMPS, Ricardo Akel, encaminhado pelo reitor Jerônimo Pinheiro, solicitado o apoio do senador João Castelo, que era amigo do então presidente da República, Fernando Collor de Melo, o qual prontamente endossou o pedido. Com parecer favorável e o empenho do então superintendente do INAMPS em São Luís, Gabriel Pereira Cunha, conseguiram os Hospitais Presidente Dutra e Materno Infantil, pertencentes ao INAMPS.
 
A CONQUISTA

Em 17 de janeiro de 1991 o Ministro da Saúde, Alceni Guerra, assinou o Termo de Cessão e Uso do Hospital Presidente Dutra (inaugurado em 28 de julho de 1961 pelo presidente da República, Jânio Quadros) e do Hospital Materno Infantil (inaugurado em 05 de agosto de 1984 pelo presidente da República, General João Batista Figueiredo), em solenidade no Palácio dos Leões, com a presença do então governador do Estado do Maranhão, João Alberto de Souza; dos professores Carlos Alberto Salgado Borges; Antonio Rafael da Silva; Natalino Salgado Filho; Terezinha de Jesus Penha Abreu; Maria Honorina Cordeiro Lopes; e Rose Marie de Jesus Jácome Castelo Gomes.
 
O FINANCIAMENTO

Os hospitais do ex-INAMPS, antes, mantidos por dotações orçamentárias daquele órgão e considerados os melhores do estado, não possuíam preocupações com a produtividade e eram administrativamente ineficientes. Surgia então, com a criação do HUUFMA, o desafio de transformar dois hospitais assistenciais em um complexo hospitalar universitário, ou seja, duas instituições assistenciais com indicadores hospitalares sofríveis em uma instituição de assistência, ensino e pesquisa, eficiente, efetiva e eficaz. 
Surgiu assim, a ideia de criar a Fundação Josué Montello, específica para dar apoio ao HUUFMA, nos moldes da Fundação Zerbini, em São Paulo, sem as amarras da lei nº8958/94, que disciplina as fundações de apoio às universidades. A Fundação Josué Montello foi criada em 1996 e tornou-se uma grande ferramenta da administração do HUUFMA. Com esta, foi possível um maior controle dos recursos e a contratação de recursos humanos, pois não existia a possibilidade de concurso público na época, e o número de profissionais do Ministério da Saúde era bem reduzido, o que não garantia um atendimento de qualidade.
 
O HU-UFMA

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão - HUUFMA é um órgão da Administração Pública Federal, que tem por finalidade reunir assistência, ensino, pesquisa e extensão na área de saúde e afins. É um hospital de ensino certificado pelo Ministério da Educação - MEC e Ministério da Saúde – MS. Por suas características de natureza pública, atende a todos, sem distinção, respeitando os princípios éticos das profissões, integra à estrutura orgânica do Sistema Único de Saúde (SUS).

O HUUFMA é formado por duas grandes unidades hospitalares: Presidente Dutra e Materno Infantil.  Possui 573 leitos, sendo 77 de UTI (Neonatal, Adulto e Pediátrica), além de 16 salas de cirurgias.

No período de 1997 a 2007, durante a gestão do prof. Natalino Salgado Filho, o  HUUFMA passou por grandes trans-formações na área estrutural e no ensino. Foi o início da implantação dos serviços de alta complexidade, a exemplo de transplantes, cirurgia cardiovascular, hemodinâmica, neuro-cirurgia, traumato-ortopedia e UTI neonatal.

A partir das gestões seguintes, muitas ações foram concebidas e implantadas, visando consolidar a instituição como hospital de ensino, sendo referência para o estado e país. Uma das grandes conquistas recentes foi à implantação do Aplicativo de Gestão dos Hospitais Universitários (AGHU), que proporcionará a unificação administrativa por meio de um software livre para atender às necessidades de gerenciamento dos serviços e atividades hospitalares, melhorando as práticas de todo o complexo HUUFMA.

Na assistência, o Hospital Universitário buscou, a cada ano, atualizações tecnológicas mediante a aquisição de equipa-mentos, além da reforma e adequação de vários serviços visando alcançar melhorias estruturais. Realiza em média 13.100 cirurgias/ ano e atende mais de 1.300.000 consultas ambulatoriais.

O corpo clínico e os pesquisadores trabalham juntos para resolver as complexidades das doenças humanas e desenvolver novos e melhores tratamentos. As pesquisas desenvolvidas no HUUFMA são conduzidas por meio de centros de pesquisa do complexo hospitalar:

·     Centro de Pesquisa Clínica (CEPEC)
Laboratório de investigação para ensaios clínicos de novas drogas e dispositivos promissores;
·     Banco de Tumores e DNA do Maranhão (BTMA)
Faz parte da Rede Brasileira de Banco de Tumores. Coleta e armazena órgãos humanos e tecidos para a investigação e mapeamento do câncer;
·     Laboratório de Genoma e Histocompatibilidade (LEGH)
Desenvolve pesquisas em várias áreas de Biologia Molecular e Genética e fornece serviços de testes de histocompatibilidade para o programa de transplante;
·     Centro de Prevenção de Doenças Renais (CPDR)
Investiga métodos de prevenção de doenças renais nos diferentes grupos da população.

O HUUFMA também se destaca pela revista “Pesquisa em Saúde”, cujo corpo editorial é formado por expoentes pesqui-sadores nacionais e internacionais e, somada a veiculação em mídia impressa e eletrônica, posicionou o periódico do Hospital Universitário entre as importantes publicações da Área da Saúde no Brasil.

Por sua vez, a Extensão foi marcada pela criação de novas Ligas Acadêmicas e com elas foram desenvolvidas várias ações em prol da comunidade maranhense, tendo como aliado os trabalhos desenvolvidos no campo do ensino, com a ampliação da oferta para novos ingressos na Residência Multiprofissional em Saúde e a aprovação de novos programas na Residência Médica. A consolidação desses programas é fruto de uma busca constante por metas e objetivos, realizada pelos diretores do HUUFMA e, atualmente, tendo como base o Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais – REHUF, com provimento de recursos do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Saúde (MS).

Nesses 26 anos de HU-UFMA, a instituição acumula títulos e certificações que reafirmam o trabalho de qualidade prestado na área da saúde como “Hospital Amigo da Criança”, concedido pelo UNICEF, “Hospital Referência para Atendimento à Gestante de Alto Risco”, “Hospital Cadastrado com UTI Neonatal” e o “Método Mãe Canguru”.

O reconhecimento pode ser percebido pelo 1º lugar na “Pesquisa de Preferência e Simpatia Pública”, “Prêmio Qualidade Hospitalar” como Centro de Referência Estadual em Aleitamento Materno, “Prêmio João Yunes” como destaque em nível nacional pelo trabalho desenvolvido em vista da promoção, proteção e recuperação da saúde da criança, “Prêmio David Capistrano” pelo desenvolvimento da política de humanização do recém-nascido, “Prêmio Fernando Figueira” pela qualidade da UTI Neonatal, “Prêmio Nacional Gestão Banas 2010” pelo grau de desenvolvimento e de comprometimento da organização e de seus colaboradores no Sistema da Qualidade e o 7º lugar no Brasil e 10º na América Latina com o melhor conteúdo acadêmico na web através do Webometric Ranking Web of World Hopitals.
 
Ebserh

Em 2013, a UFMA assinou o contrato com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, cuja criação integra um conjunto de medidas adotadas pelo Governo Federal para a reestruturação dos hospitais vinculados às instituições federais de ensino superior.  A Ebserh, empresa pública vinculada ao Ministério da Educação, passou a ser a responsável pela gestão do HU-UFMA, assumindo a coordenação e avaliação da execução das atividades do hospital; apoiando tecnicamente à elaboração de instrumentos de melhoria da gestão, além da distribuição de recursos para melhoria dos serviços prestados. O primeiro concurso da Ebserh destinado para o HU-UFMA foi marcado por ter sido o maior concurso público realizado no Maranhão. Ele ofereceu 1.877 vagas.


DIRETORES DO HU-UFMA
(1990 - 1997) - Terezinha de Jesus Penha Abreu - Endocrinologista
(1997 - 2007) - Natalino Salgado Filho - Nefrologista
(2007 - 2009) - Maria do Desterro Soares Brandão Nascimento - Patologista
(2009 - 2012) - Vinicius José da Silva Nina - Cirurgião Cardiovascular
SUPERINTENDENTE
(2012/ATUAL) - Joyce Santos Lages - Enfermeira