Notícias Notícias

Voltar

Setembro Amarelo: HU-UFPI promove palestras sobre suicídio

Prevenção

Setembro Amarelo: HU-UFPI promove palestras sobre suicídio

A ação acontecerá no auditório do HU-UFPI, a partir de 8:30h da manhã desta quarta-feira, tendo início com a palestra “Suicídio e Saúde Pública em Teresina”

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI), por meio da Unidade de Atenção Psicossocial, realizará, nos dias 13 e 14 deste mês, o ciclo de palestras "Vamos falar sobre suicídio?". A programação integra o Setembro Amarelo, uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com a intenção de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo, além de indicar formas de prevenção.

A ação acontecerá no auditório do HU-UFPI, a partir de 8:30h da manhã desta quarta-feira, tendo início com a palestra “Suicídio e Saúde Pública em Teresina”, a ser proferida pelo sociólogo Benedito Carlos de Araújo Junior, professor da UFPI. Outros temas também serão discutidos ao longo da programação, como a relação entre automutilação e suicídio e as formas de prevenção.

Chefe da Unidade Psicossocial do HU-UFPI, o psiquiatra  Ediwyrton de Freitas Barros destaca que o comportamento de autoagressão e sua demonstração mais impactante - o suicídio - são fenômenos de ocorrência mundial, com grande impacto nas sociedades. “Especialmente nos últimos vinte anos, observa-se um crescimento significativo no que se refere à ocorrência de suicídios no mundo, não sendo diferente no Brasil e no Piauí. No nosso país, são cerca de 10 mil casos por ano e o enfrentamento desse quadro ainda é um desafio para os profissionais e para a sociedade”, afirma.

O psiquiatra ressalta que preconceitos, tabus e desinformação contribuem para a mitificação do tema. “Informação, participação da família, acompanhamento profissional adequado são essenciais para que evitemos o crescimento dos casos de suicídio. Por meio da discussão do tema em diversos espaços, como escolas, universidades, meios de comunicação, empresas e repartições públicas, com divulgação de informações tecnicamente embasadas e combate aos mitos relacionados ao tema, poderemos atuar de forma preventiva e, assim, reduzir a ocorrência de tão trágico fenômeno”, destaca o Dr. Ediwyrton de Freitas Barros.

Sinais como isolamento, tristeza, irritabilidade, dificuldade de interagir com outras pessoas e verbalização de frases de desânimo como “Eu não aguento mais” ou “Está difícil” não devem passar desapercebidos pelos familiares e amigos próximos de pessoas com ideação suicida. Identificados, aconselha-se que a pessoa deva ser encaminhada para uma unidade da rede de apoio para que especialistas prestem a ajuda necessária.

 

Setembro Amarelo - A Organização Mundial de Saúde adotou o dia 10 de Setembro como o Dia Mundial de Combate ao Suicídio. No Brasil, entidades profissionais ligadas à saúde mental passaram a dedicar o mês de setembro para abordar de forma mais incisiva o tema do comportamento suicida, por meio da campanha Setembro Amarelo.

 

Programação do Setembro Amarelo no HU-UFPI

 

13 de Setembro

 

• 8h30 – Suicídio e Saúde Pública em Teresina-PI

(Prof. Dr. Benedito Carlos de Araújo Junior – Sociólogo e professor da UFPI)

 

• 10h30 – Vigilância das Violências Autoprovocadas em Teresina-PI

(Elaine Monteiro da Costa – Enfermeira, Chefe do Núcleo de Vigilância de Violências e Acidentes da FMS de Teresina)

 

14 de Setembro

 

• 11h – Relação entre Automutilação e Suicídio

(Carlos Henrique de Aragão Neto  - Psicólogo e Tanatólogo, Doutorando em Psicologia Clínica e membro associado Internacional Association For Suicide Prevention)

 

• 14h30 - Prevenindo o Suicídio e Valorizando a Vida

(Laryssa Carvalho - Psicóloga Clínica com foco em Suicidologia, Mestranda em Saúde, representante do Centro Débora Mesquita e Membro da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio - ABEPS