Notícias Notícias

Voltar

HU recebe visita técnica do Ministério da Saúde

VISITA

HU recebe visita técnica do Ministério da Saúde

Os profissionais da área de sangue e hemoderivados vieram a Sergipe para discutir as linhas de cuidado na triagem neonatal em todo o estado, desde a atenção primária até a hospitalar

Técnicos do Ministério da Saúde (MS) estiveram na tarde desta terça-feira, 5, em visita ao Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS) com o objetivo de conhecer as instalações e detalhes sobre a linha de cuidado aos pacientes com anemia falciforme do serviço de triagem neonatal, no qual o HU-UFS é referência estadual. Os profissionais, especialistas na área de sangue e hemoderivados, vieram acompanhar o atendimento a esses pacientes em todo o estado, envolvendo crianças e adultos, da atenção primária à hospitalar.

Após uma reunião técnica, pela manhã, na Fundação Estadual de Saúde (Funesa), os representantes do MS chegaram ao HU-UFS e foram recepcionados pela chefe da Divisão de Gestão do Cuidado, Ana Paula Vasconcelos, e demais gestores. Ana Paula apresentou o prédio ambulatorial e o laboratório em que se processam os exames de eletroforese de hemoglobinas, necessários para confirmar as suspeitas de anemia falciforme que podem surgir com os testes do pezinho.

“Confirmada a suspeita de anemia falciforme, a criança é acompanhada até os 18 anos de idade. O HU-UFS está envolvido em todas as fases da triagem, evitando e monitorando complicações futuras para essas crianças”, explica Ana Paula. Como hospital-escola, o HU-UFS ainda é responsável por treinar estudantes, residentes e colaboradores a fim de que realizem, de forma multidisciplinar, um acompanhamento eficiente. “A qualidade da atenção especializada, particularmente no caso da anemia falciforme, reside também no desenvolvimento pleno das capacidades dos profissionais que têm de lidar com a enfermidade”, complementa a gestora.

Durante a visita, os técnicos do MS ressaltaram o trabalho descentralizado dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), o que impõe igualmente à União, aos estados membros e aos municípios o dever de cuidado aos pacientes com anemia falciforme. A discussão de políticas públicas voltadas para essa área foram, igualmente, objeto de discussão com os representantes de atenção primária, especializada e hospitalar de Sergipe, incluindo os do HU-UFS.

Por Luís Fernando Lourenço

Imagens: