Notícias Notícias

Voltar

Paciente realiza sonho de casamento no HU

COMEMORAÇÃO

Paciente realiza sonho de casamento no HU

Edvaldo Santana, de 69 anos, casou-se com Lourdes Dantas numa cerimônia prestigiada por dezenas de colaboradores e convidados

No Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), a tarde desta terça-feira, 26, começou de uma forma diferente. Por todos os lados, viam-se pessoas apressadas, com sorrisos nos rostos, concentradas nos preparativos do casamento do paciente Edvaldo Santana. Apesar de padecer de uma doença grave que exige cuidados especiais, Edvaldo decidiu casar-se com a sua companheira Lourdes Dantas.

O momento da entrada do noivo Edvaldo Santana.

O evento consolidou-se como um marco histórico para o HU-UFS: foi a primeira vez que o hospital-escola celebrou o casamento de um paciente. No fim da tarde, dezenas de colaboradores amontoaram-se na área externa do hospital para acompanhar a chegada dos noivos. Além de chefes de diversos setores, unidades e divisões do HU-UFS, chegaram familiares e outros convidados do casal. 

Da esquerda para a direta, o noivo Edvaldo, a noiva Lourdes e a filha do casal, Ane Suênia.

À espera de Edvaldo e Lourdes, o ministro Paulo Amado – quem já atuou como médico do HU-UFS – preparava-se para dar a benção aos dois. O coral Vozes do HU encarregou-se de fazer a abertura do evento, entoando a canção “Hallelujah”. Na abertura da cerimônia, o religioso manifestou que “temos de ir celebrar o amor onde ele estiver. Hoje estamos aqui para festejar o sentimento desse casal”.

O ministro Paulo Amado.

Bastidores do sonho

Lourdes e Edvaldo conheceram-se há 29 anos num estabelecimento comercial em que trabalhavam. “Quando o seu Edvaldo chegou ao HU-UFS no ano passado, uma equipe multidisciplinar passou a cuidar da sua doença e, ao mesmo tempo, a preocupar-se com os seus sonhos. Ele nos contou a sua história de vida e nos emocionou. Fizemos o aniversário dele e, agora, não medimos esforços para realizar o casamento”, conta o terapeuta ocupacional e membro do Grupo de Cuidados Paliativos do HU-UFS, André Noberto. O profissional explica, ainda, que o apoio de tantos colaboradores foi crucial na produção da cerimônia. “O resultado surpreendeu: um casamento muito íntimo e especial”, completa.

Os noivos no momento da benção.

A filha de Lourdes e Edvaldo, Ane Suênia, relata que viveu um dos momentos mais emocionantes da sua vida. “Toda a família está feliz pelo passo que eles decidiram dar”, avalia. 

Importância da humanização

Como representante do Grupo de Cuidados Paliativos do HU-UFS, André ressalta a importância de ações de humanização para auxiliar na estabilização do quadro do paciente portador de doença grave. “Se o paciente está feliz, as chances de a doença evoluir diminuem. O caso do seu Edvaldo merece um estudo acadêmico-científico. Ele perseverou e passou por todas as etapas previstas num caso como o dele, chegando ao estágio da aceitação. Realizar um sonho para ele é, portanto, fazer cada dia valer a pena”, conclui.

No detalhe da foto, o terapeuta ocupacional do HU-UFS, André Noberto, e o noivo Edvaldo.

Por Luís Fernando Lourenço

Imagens: