Notícias Notícias

Voltar

HU retoma obra da Unidade Materno Infantil

DESENVOLVIMENTO

HU retoma obra da Unidade Materno Infantil

A liberação da verba, cujo valor passa dos R$15 mi, expandirá a infraestrutura do hospital.

Nesta segunda-feira, 8, foi entregue à construtora responsável a ordem de serviço para execução da obra de conclusão, reforma e adequação da Unidade Materno Infantil do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS). O prédio, orçado em cerca de R$ 15,7 milhões, deve garantir para a população sergipana um espaço de 6.952m², com seis pavimentos e 118 leitos. A previsão é finalizar o empreendimento em 540 dias.

Para o reitor da UFS, Angelo Antoniolli, o momento é histórico. “Hoje é uma manhã especial, estamos aqui avançando em um esforço para atender às políticas públicas, para que pessoas menos favorecidas tenham um lugar digno onde possam receber atendimento”, declarou.

Ele afirmou que ainda há pela frente uma longa caminhada no sentido de fortalecer a única instituição pública de ensino superior do estado. “Vamos fazer com que o HU amplie o atendimento de forma humanitária, profissional, oferecendo os melhores serviços de saúde do nosso estado. Serão 118 leitos à disposição da sociedade. Teremos residência em ginecologia, obstetrícia, em várias áreas que farão parte de uma capacitação profissional de qualidade. Nossos jovens terão espaço para garantir a sua formação”, comentou Antoniolli.

Sonho

Já a superintendente do HU-UFS, Angela Silva, falou sobre a realização de um sonho. “Hoje é um dia memorável, porque desde que foi instituída a faculdade de medicina que não temos um Materno Infantil. Já se vão mais de 50 anos e nunca houve um espaço próprio para isso. Agora, temos a entrega de uma ordem de serviço para um prédio que servirá a muitas pessoas, é simplesmente a realização de um sonho”, comemorou.

Angela Silva fez questão de mencionar as suas expectativas com relação à eficiência da empresa vencedora da licitação. “A partir de hoje, essa construtora detém uma grande responsabilidade com a comunidade, que não é só a comunidade do Hospital Universitário, mas de Sergipe inteiro, pois essa maternidade fará uma grande diferença, tanto na saúde quanto no ensino e pesquisa em nosso Estado. Estou muito emocionada”, disse.

A gestora enfatizou que a liberação da verba expandirá a infraestrutura do hospital no que diz respeito ao atendimento dos seus pacientes. “Além da infraestrutura e da melhoria no atendimento à população, a unidade será um reforço para a preparação de estudantes e residentes da área da saúde. O hospital passará a dispor de UTIs Neonatal e Pediátrica, mais leitos de enfermaria, berços e vagas em berçário, salas de parto e salas cirúrgicas”, destacou Angela.

Verba

Um dos parlamentares que teve participação no pleito para liberação da verba foi o senador Eduardo Amorim (SE), além do deputado federal André Moura (SE), que esteve presente à solenidade desta segunda-feira. “É uma alegria poder estar aqui, pois sabemos das dificuldades que Sergipe encontra em relação às suas maternidades, sabemos que hoje estamos vencendo mais uma etapa, com um investimento federal de mais de R$ 15 milhões no HU”, lembrou Moura.

A ordem de serviço para conclusão da obra foi assinada no último dia 13 de dezembro pelo ministro da Educação, Mendonça Filho; pelo presidente da Ebserh, Kléber Morais; pelo reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Angelo Antoniolli; pelo senador Eduardo Amorim (SE) e pelo deputado federal André Moura (SE).

Sobre a Ebserh

Desde outubro de 2013, o HU-UFS é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação que administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo da Rede Ebserh é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Por Andreza Azevedo
Fotos: Schirlene Reis (Ascom UFS)

Imagens: