Notícias Notícias

Voltar

“Para mim, cuidar é tratar o outro como gostaríamos de ser tratados”

Relatos de Quem Cuida

“Para mim, cuidar é tratar o outro como gostaríamos de ser tratados”

Confira o depoimento da enfermeira Suze Cley Feitosa, chefe do Setor de Hotelaria do HU-UFS.

O projeto “Relatos de quem cuida” apresenta histórias de atendimentos de saúde marcantes na vida dos profissionais da Rede Ebserh. É o trabalho de pessoas que se dedicam para mudar a vida de quem mais precisa!

“Para mim, cuidar é tratar o outro como gostaríamos de ser tratado”

Estou no Hospital Universitário de Sergipe há 26 anos. Sou enfermeira, iniciei na parte assistencial, fui coordenadora de enfermagem e hoje respondo pelo Setor de Hotelaria Hospitalar. Temos dois processos de trabalho: um é o hospedar, que cuida do corpo, e o outro é o acolher, que cuida da alma. Fora isso, instituímos a política do bom atendimento. Se chega uma demanda, mesmo que não seja nossa, a gente procura dar um direcionamento. A pessoa sempre deve sair satisfeita.

Para mim, cuidar é tratar o outro como gostaríamos de ser tratado. Foi pensando nisso que desenvolvemos ações como o Celebrar a Vida e o Sábado com Humanização, que não são casuais, fazem parte do nosso processo de trabalho. Essas ações fazem parte do nosso dia a dia, como qualquer outra, como cuidar da higienização, da lavanderia e da produção e distribuição de refeições ao paciente.

O Celebrar a Vida acontece quando a data do aniversário do paciente coincide com o período em que ele está internado. São comemorações feitas de surpresa, com música e violão, lembrancinha, cartão de aniversário e decoração da enfermaria. Aniversariar é vida, e deve ser uma celebração em qualquer circunstância. O Celebrar a Vida traz uma contribuição terapêutica, por minimizar os sentimentos de angústia, isolamento, fragilidade física e emocional decorrentes da internação.

Por mais que eu diga mil palavras não vou conseguir expressar o que é o Celebrar a Vida. Quem participa ou já participou sabe o quanto é gratificante, qual é a emoção daquele momento. Uma paciente que me marcou muito foi uma menina que fez 15 anos, a mãe se emocionou bastante porque até então aquela debutante nunca havia tido uma festa de aniversário.

Essa paciente, que continua fazendo tratamento ambulatorial, toda vez que vem ao HU nos visita, quer nos dar um abraço, e comenta que a foto daquele aniversário no hospital está exposta na sala da casa dela. Isso não tem preço. Foi uma paciente que se sentiu valorizada e é grata até hoje.

A vida de qualquer ser humano deve ser celebrada, seja ele quem for, não importa que cargo ele ocupe, sua situação financeira, raça, cor, porque a vida é um presente de Deus, e tudo que vem de Deus tem que ser celebrado.

Além do Celebrar a Vida, temos o Sábado com HUmanização, que é realizado todo último sábado de cada mês e fez um ano em setembro de 2017. Sábado com HUmanização é levar lazer para pacientes, acompanhantes e até para colaboradores. Temos pretensão de fazer mais vezes por mês, porque é muito gratificante, temos depoimentos de pacientes agradecendo, é maravilhoso de ver, eu me emociono cada vez que participo.

Digo sempre à minha equipe e aos meus parceiros que eu apenas plantei a semente, mas que eles regam essa sementinha a cada edição. Eles brincam, dançam, cantam e certamente diminuem a dor de quem está internado. Mais gratificante ainda é quando profissionais da própria equipe, como assistentes sociais e psicólogos, relatam que ouviram de pacientes palavras de gratidão por aquele momento.

Não posso deixar de mencionar que essas ações têm dado certo graças a parceiros como a Sociedade Amigos do Hospital Universitário de Aracaju (Soahu-Aju), que é uma associação mantida principalmente por colaboradores do HU-UFS para defesa de direitos sociais; a Unidade de Reabilitação; a Unidade de Comunicação Social, à Unidade de Atenção Psicossocial; à Ouvidoria, à própria Hotelaria e parceiros externos como o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC/SE); o Grupo Bom Dia, o Palhaço Seu Guido e o Anjos Humanizados.

Suze Cley Feitosa, chefe do Setor de Hotelaria Hospitalar do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe

Sobre a Ebserh

Desde outubro de 2013, o HU-UFS é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação que administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo da Rede Ebserh é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Por Andreza Azevedo