Notícias Notícias

Voltar

Encontro no HU aborda doenças inflamatórias intestinais

EVENTO

Encontro no HU aborda doenças inflamatórias intestinais

Uma série de homenagens também marcou o encontro, com distribuição de rosas para membros da equipe e de uma placa para o fundador do ambulatório.

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS) realizou nesta quinta-feira, 7, o 1º Encontro Multidisciplinar de Doença Inflamatória Intestinal, com o tema Uma Realidade a Ser Cuidada.

O evento complementou as atividades realizadas no HU durante o Maio Roxo, já que, em todo mês de maio, a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), e outras instituições que se dedicam às doenças do aparelho digestivo, fazem campanhas para conscientizar sobre as doenças inflamatórias intestinais.

Durante o encontro, o médico proctologista aposentado do HU-UFS, Juvenal Torres, proferiu a palestra Doença Inflamatória Intestinal: como descobrir? Como tratar? Como cuidar?. “É uma satisfação muito grande fazer parte desse encontro, rever colegas, pacientes, e poder trazer esclarecimentos. Além disso, o evento marca os 15 anos do ambulatório de doenças inflamatórias intestinais no HU, uma grande conquista para a equipe e para os pacientes”, declarou o médico, que é professor do curso de Medicina da UFS.

Doutor Juvenal, como é conhecido pelos pacientes e equipe, foi um dos principais fundadores desse ambulatório, como bem destacou a médica Ana Carolina Lisboa. Ela falou sobre os 15 anos do ambulatório especializado em proctologia no HU.

“Fui aluna dele e começamos juntos essa história. Cada caso é um novo desafio, mas nosso grande presente é saber que o esforço de uma equipe pode devolver ao paciente o tão esperado retorno às atividades do seu dia a dia. É uma satisfação enorme”, disse.

Continuidade

Após a palestra de Ana Carolina, que falou sobre o ambulatório - da criação até os dias atuais - foi a vez da enfermeira Silvania Cardoso mostrar a visão da enfermagem no ambulatório em questão.

Uma série de homenagens também marcou o encontro, com distribuição de rosas para membros da equipe e de uma placa para o fundador do ambulatório. Em seguida, a mesa redonda Abordagem da Equipe Multiprofissional no Acompanhamento ao Paciente com Doença Inflamatória Intestinal teve a presença das palestrantes Damares Almeida, nutricionista residente; da enfermeira Maíra Lima, especialista em enfermagem dermatológica; e da enfermeira Julyana Campos, estomatoterapeuta.

Logo após as homenagens, a paciente Daniela Flor pediu um espaço no encontro para dar o seu depoimento. “Agradeço a todos da equipe, principalmente ao Doutor Juvenal, que mudou a minha vida. Essa equipe é formada por anjos que Deus colocou em meu caminho. Estou viva hoje, primeiramente por Deus, depois por essa equipe maravilhosa”, emocionou-se.

Finalizando a programação, a psiquiatra Helena Pinho de Sá abordou o tema Mente e Corpo: como fica o nosso intestino nessa história. A abertura do evento teve a presença do gerente administrativo do HU, Edélzio Costa Junior, representando a superintendente do hospital; do gerente de Atenção à Saúde, Marcos Albuquerque; e da chefe da Divisão de Gestão do Cuidado, Ana Paula Lemos.

Doença Inflamatória Intestinal

A doença inflamatória intestinal é qualquer processo que envolva o trato gastrointestinal. Pode ser de causa conhecida, como infecções e parasitoses, ou de causas desconhecidas, como a retocolite ulcerativa – caracterizada por inflamação da mucosa do cólon - e a Doença de Crohn – que traz focos de inflamação capazes de afetar qualquer parte do sistema digestório.

Ambas as patologias atingem pessoas jovens, com um pico de incidência na faixa etária de 15 a 30 anos. No entanto, podem afetar pessoas de qualquer idade. O diagnóstico da doença inflamatória intestinal é confirmado por avaliação clínica e investigações diagnósticas. O tratamento pode ser por medicamentos ou cirúrgico, a depender de cada caso.

Atualmente, o ambulatório de Doenças Inflamatórias Intestinais do HU-UFS atende a 300 pacientes. O encaminhamento é realizado pelas Unidades Básicas de Saúde ou via interconsultas.

Por Andreza Azevedo

Imagens: