Notícias Notícias

Voltar

HU-Univasf abre espaço para discutir o papel da mulher enquanto mãe e profissional

Gestão de Pessoas

HU-Univasf abre espaço para discutir o papel da mulher enquanto mãe e profissional

A roda de conversa aconteceu na manhã dessa quinta-fera (24/05), no auditório do HU-Univasf

Quais os anseios, dúvidas e aprendizados vivenciados pela mulher durante o processo de “tornar-se” mãe? Como essa transformação se reflete ou é influenciada pelos projetos profissionais da mulher contemporânea?

Pensando no assunto, a Divisão de Gestão de Pessoas- DiVGP do HU-Univasf promoveu, na manhã do dia 24 de maio, uma roda de conversa com o tema “Maternidades e Carreiras”. Os temas abordados giraram em torno da problematização dos dilemas enfrentados pelas mulheres na experiência materna e profissional.

O debate contou com a participação especial da psicóloga Sandrielly Queiroga que em sua apresentação trouxe relatos, vídeos e abordagens atuais sobre os desafios enfrentados pela mulher no mercado de trabalho, na tentativa de conciliar o exercício da profissão com a missão da maternidade. Para a psicóloga, é essencial abordar esse tema, sendo que as mulheres pouco dispõem de espaços para manifestar seus anseios e sugestões relacionados à questão. Ela explica que o formato da roda de conversa é bastante adequado uma vez que permite o livre debate e facilita o processo de identificação entre os participantes. Ainda segundo Sandrielly, é urgente a necessidade de promoção de políticas públicas capazes de garantir ambientes profissionais e sociais onde a mulher possa dispor de seus direitos enquanto mãe e trabalhadora.

O público interagiu e foram levantados diversos assuntos relacionados ao tema. O compartilhamento de experiências entre mães e mulheres que ainda não tem filhos enriqueceu a discussão, trazendo pluralidade de opiniões e permitindo o aprendizado mútuo. Pollyanna Guimarães, colaboradora do HU e participante do evento, destacou a importância do encontro: “Achei super válida a proposta, considerando que grande parte do corpo profissional do HU é composto por mulheres; muitas delas, mães. Pensar que nosso hospital abre um espaço para discutir essa realidade, ouvindo as colaboradoras, é muito gratificante. Nosso desejo é que aos poucos a discussão amadureça e se converta em mudanças no cenário como uma maior flexibilização de horários, viabilização de uma creche, além de outras adaptações que favoreçam um melhor desempenho do papel de mãe e, consequentemente, de nossa vivência profissional” ressaltou a colaboradora.

A “Roda de Conversa: Maternidades e Carreiras” promovida pela DivGP levantou uma temática inédita no Hospital Universitário, permitindo o debate e o amadurecimento sobre a perspectiva profissional feminina no ambiente hospitalar. Segundo a psicóloga organizacional Rúbia Castro, a problematização responsável do tema “maternidade e trabalho” é algo bastante recente e fundamental para que as mulheres saibam que é possível optar por ser mãe sem necessariamente ignorar suas aspirações profissionais. “O nosso objetivo é empoderar nossas colaboradoras, aquelas que são mães e aquelas que pretendem ser, para que elas possam ter uma postura ativa e mais tranquila diante dos desafios da maternidade”, ressaltou a psicóloga organizacional.

Imagens: