Notícias Notícias

Voltar

Ação Educativa do curso de nutrição UFRN/FACISA no RU do Huab: Já lavou suas mãos hoje?

Ação Educativa

Ação Educativa do curso de nutrição UFRN/FACISA no RU do Huab: Já lavou suas mãos hoje?

Disciplina de Educação Alimentar e Nutricional promove ação educativa no restaurante universitário – RU, do Huab

O Hospital Universitário Ana Bezerra – HUAB, possui em suas instalações uma cozinha e um refeitório (que evoluiu para Restaurante Universitário – RU) bem equipados e que, além das funções básicas (servir aos usuários, acompanhantes e profissionais plantonistas) atende também a cerca de 300 alunos dos cursos da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí – FACISA/UFRN.

O Huab cumpre sua missão de contribuir para a elevação da qualidade das atividades de saúde, como elemento complementar de ensino e pesquisa, atuando como campo de estudo, campo de estágio, base de residências médicas e multiprofissionais, e ainda servindo como laboratório de pesquisas para os cursos de graduação e pós-graduação da FACISA.

Neste ambiente educacional, a professora Cynthia Lorena, titular da disciplina de Educação Alimentar e Nutricional, do curso de Nutrição da FACISA, resolveu levar seus alunos para uma ação educativa sobre a higienização das mãos e também de outros cuidados importantes na hora de alunos, usuários, acompanhantes e profissionais da saúde utilizarem o Restaurante Universitário para fazer suas refeições.

A ideia surgiu após a identificação de que havia muitos procedimentos errados e que poderiam e deveriam ser mudados entre os frequentadores do RU. As principais observações foram relacionadas a higienização ou não higienização das mãos, falar muito próximo ao balcão térmico onde estão os alimentos, na hora de se servir, não estar com os cabelos presos, quando for o caso; também foi observado com uma grande frequência a utilização de vestuário de uso restrito ao ambiente hospitalar como jalecos ou conjuntos privativos, por exemplo. Até equipamentos como estetoscópio são conduzidos pelos profissionais. E isto sem esquecer do celular.

Numa abordagem inicial os alunos cumprimentavam a quem chegava com um aperto de mãos. Neste momento eram repassados fragmentos de “glitter” que aderiam nas mãos dos frequentadores. Foi a forma encontrada de ilustrar como os microrganismos são facilmente transportados por todos, sem que isto seja percebido.

Uma série de cartazes foram fixados na entrada e no interior do salão de refeições para chamar a atenção dos frequentadores para todos estes procedimentos não realizados ou feitos de maneira incorreta.

Tanto na entrada como na saída a pergunta que não queria calar: Já lavou suas mãos hoje?