Notícias Notícias

Voltar

Atuação do HUAC no mutirão Ebserh Solidária deve se transformar em ação permanente

ASSISTÊNCIA

Atuação do HUAC no mutirão Ebserh Solidária deve se transformar em ação permanente

Ação foi realizada no Lar da Sagrada Face e na Fazenda do Sol nessa quinta-feira (20)

Empatia, amor, solidariedade e a certeza de que é preciso, cada vez mais, ir além das paredes da instituição, para chegar aos mais necessitados. Foi com essa percepção que o Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC-UFCG), da Universidade Federal da Paraíba e vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), encerrou a participação na 3ª edição da ação Ebserh Solidária – um mutirão de assistência em saúde que mobilizou todo o País nessa quinta-feira (20).

Durante todo o dia, mais de 1,2 mil colaboradores de 40 hospitais universitários filiados à Rede Ebserh colocaram experiência, talento, profissionalismo e uma boa dose de afeto à disposição de crianças, adultos e idosos atendidos pelo mutirão. Além da assistência em saúde, também foram distribuídos presentes e donativos às pessoas em vulnerabilidade social.

Na região da Serra da Borborema, na Paraíba, o HUAC desenvolveu atividades, pela manhã, no Lar da Sagrada Face (localizado em Lagoa Seca) e à tarde na Fazenda do Sol (em Campina Grande). A ação contou com participação de estudantes da UFCG, médicos, bioquímicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem bem como profissionais da área técnico-administrativa do hospital.

“Essas duas instituições são carentes de atenção e precisam de apoio, inclusive de toda a sociedade, durante todo o ano e não apenas no período natalino. De tal forma que, conversando com nossa equipe, decidimos que vamos voltar ao Lar da Sagrada Face e à Fazenda do Sol independentemente do mutirão realizado agora, pois percebemos a necessidade premente que essas pessoas têm e queremos estreitar a parceria com as instituições visitadas”, afirmou o superintendente do HUAC, Homero Rodrigues.

Itamar de Sousa Brasileiro, 67, está há seis anos no Lar da Sagrada Face e foi uma das pessoas assistidas pelo Hospital Universitário durante o mutirão. Torcedor do Campinense, ele gostou do atendimento que recebeu. “Achei muito bom. Me senti muito bem com as visitas”.

De tiara no cabelo, colar e aliança no dedo, dona Severina Paulino, 97 anos, era uma das mais animadas durante a ação. Conversando muito, mostrava a todos um buquê de flores na mão e dizia que queria se casar. Ela recebeu atendimentos dos médicos e enfermeiros e aproveitou bem a festa, que contou com presentes, lanche e música.

A supervisora-administrativa do Lar da Sagrada Face, Rosileide da Silva Araújo, comentou a ação do HUAC. “A gente vê com gratidão essa iniciativa em benefício de pessoas tão esquecidas pela sociedade. No momento, a gente não pode ter uma equipe multidisciplinar, então quando o HU se disponibilizou em fazer essa ação, a gente ficou encantada e muito agradecida”, disse, reforçando que o Lar da Sagrada Face não dispõe de auxílio governamental e precisa da ajuda da comunidade para poder levar adiante o trabalho social que realiza.

ASSISTÊNCIA MÉDICA

Na Fazenda do Sol, o clima também era de satisfação. “Essa ação social do hospital é muito importante para nós, porque integra o trabalho com dependentes químicos que já é feito aqui. Com essa atividade do HU, os internos percebem que alguém está olhando por eles, além da instituição. É difícil, às vezes, conseguir assistência médica e essa parceria vai nos permitir dar um salto de qualidade”, comentou Gesner José Coube coordenador da entidade.

A realização do mutirão Ebserh Solidária também foi comentada pelo padre Sérgio Leite, responsável pela administração da Fazenda do Sol. “É muito louvável receber essa ação de solidariedade do hospital dentro de nossa instituição, com pessoas que sofrem de muitas carências. Como atuamos com dependentes químicos, é importante trabalharmos três aspectos: a saúde do corpo, a saúde espiritual e a saúde psíquica. Então o HU, nesse contexto, traz um desses aspectos, que é o cuidado com a saúde do corpo”, declarou o religioso.

O presidente da Ebserh, Kleber Morais, também participou ativamente do mutirão. Pela manhã, em Brasília, e à tarde em Natal-RN. “Essa ação é voluntária, onde levamos a ideia dos hospitais saírem dos muros hospitalares e levarem estes atendimentos a locais mais distantes. Já é a terceira edição e tem sido um sucesso. Esta, em especial, com a proximidade do Natal”, destacou.

 

 

 

 

Imagens:

Angélica Lúcio - Jornalista HUAC-UFCG