Notícia Notícia

Voltar

HUB alerta para higienização das mãos

Dia Mundial

HUB alerta para higienização das mãos

Em comemoração à data, hospital promove mesa redonda e distribuição de material educativo

Barato, fácil e rápido de fazer. Lavar as mãos pode parecer uma ação básica de higiene, mas o hábito ganha importância no ambiente hospitalar ao evitar a transmissão de infecções e até salvar vidas. Para comemorar o Dia Mundial de Higienização das Mãos, celebrado nesta sexta-feira (5), o Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) promove ações de conscientização aos profissionais de saúde.
 
Na próxima quarta-feira (10), o Setor de Vigilância em Saúde (SVS) do HUB participará de uma mesa redonda no auditório 1, de 15h às 16h, durante o evento da Semana de Enfermagem. O objetivo é debater o tema da campanha de higienização estipulado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano: “Luta contra resistência microbiana está em suas mãos. Durante este mês, o HUB ainda expõe banners com mensagens de sensibilização e entrega materiais educativos.
 
De acordo com o responsável pelo SVS, Rigeldo Augusto Lima, higienizar as mãos é uma das seis metas do programa nacional de segurança do paciente, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Além de aprimorar a qualidade da assistência, a prática gera outras melhorias. “Menos infecções, menor uso de medicamentos e do tempo de internação, o que também diminui o custo do tratamento”, explica.
 
O HUB realiza ações periódicas para monitoramento da adesão dos funcionários da assistência à higienização das mãos, mas espera avançar nesse indicador. “Um dos objetivos para este ano é medir não apenas a quantidade de álcool e sabão usados, mas a efetividade de uso desses materiais e por quais profissionais”, afirma Rigeldo. Para ele, o mais importante é conhecer as cinco situações em que é preciso higienizar as mãos. Confira a seguir!
 
5 momentos para higienizar as mãos em serviços de saúde 
1. Antes de tocar o paciente 
2. Antes de realizar procedimento limpo 
3. Após risco de exposição a fluidos corporais 
4. Depois que tocar o paciente 
5. Sempre depois que tocar superfícies próximas ao paciente

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB