Notícia Notícia

Voltar

Evento recebe cerca de mil visitantes

Feira de Saúde

Evento recebe cerca de mil visitantes

População é orientada sobre autocuidado e prevenção de doenças durante dois dias

Foram dois dias de muito aprendizado sobre prevenção de doenças e como cuidar da própria saúde. Quem passou pela XV Feira de Saúde do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) nos dias 24 e 25 de outubro, viu de perto o que fazer em diversas situações, desde como prevenir o câncer a como evitar a presença de animais peçonhentos em casa. 

“Vou levar para casa tudo que aprendi para me cuidar mais”, contou o estudante do terceiro ano do ensino médio Kevin Villanueva. “Aprendi muito, vou passar para os meus filhos muita coisa que só aprendemos aqui na feira”, disse a professora Marta Gomes.

Foram montados 14 espaços com serviços e orientações, realizados por profissionais do HUB e professores e estudantes de graduação e de pós-graduação que fazem parte das Ligas Acadêmicas da Universidade de Brasília (UnB). A feira faz parte da programação da Semana Universitária da UnB e recebeu a visita de cerca de mil pessoas, entre alunos do ensino médio de escolas públicas e particulares do Distrito Federal e a população em geral.

“A feira significa a integração com a comunidade e concilia ensino e serviço”, garantiu a superintendente do HUB, Elza Noronha. “O objetivo é ofertar ações que ajudem a população a ficar mais atenta, olhar para a própria saúde e se cuidar”, explicou a responsável pela Unidade de Graduação da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) do HUB, Fernanda da Rosa.

Estandes
Os alunos da disciplina de parasitologia dos cursos de medicina, enfermagem e biologia da UnB prepararam nove espaços com orientações sobre diversos assuntos, como sintomas e diferenças entre dengue, Zika e chikungunya, moradias precárias, doença de Chagas e animais peçonhentos. 

“Esperamos que a população saiba como as doenças parasitárias são transmitidas e as formas de prevenção, levem isso para casa para conseguirmos reduzir a transmissão dessas doenças”, explicou o professor de parasitologia da Faculdade de Medicina da UnB, Rodrigo Gurgel.

No espaço da Liga de Endocrinologia da UnB, foi possível saber a quantidade de cálcio ingerida por semana, o risco de desenvolver diabetes e medir a glicemia. “Foi um momento para refletir sobre os hábitos de vida”, afirmou a diretora de extensão da liga, Letícia Sandoval.

Os visitantes também receberam orientações sobre a prevenção de doenças cardiovasculares e puderam aferir a pressão arterial. “O objetivo é orientar as pessoas sobre os riscos da pressão alta, o que podem fazer para melhorar e para evitar a pressão alta”, esclareceu o presidente da Liga Acadêmica de Cardiologia da UnB, Jonas Nascimento.

Integrantes do projeto de extensão do HUB sobre trauma dental explicaram o que fazer quando um dente cai ou quebra. E a Liga Acadêmica de Combate ao Câncer teve como foco principal a prevenção do câncer de mama. “Como estamos no Outubro Rosa, nossa principal ação é mostrar a importância da prevenção, ensinar o auto exame, e lembrar que quanto mais cedo o câncer for detectado maiores são as chances de cura”, reforçou a estudante de enfermagem da liga Shirley Aline Arteaga.

Escolha da profissão
A Feira de Saúde também ajuda adolescentes na difícil decisão de qual profissão seguir. “Propiciamos aos estudantes conhecer o que é feito em cada curso dentro da área da saúde, com informações de diferentes disciplinas de vários cursos”, explicou a professora do curso de Farmácia da UnB, Dayde Mendonça. “É também uma oportunidade para observar diversas áreas da saúde e como elas trabalham em relação a educação em comunidade”, completou o gerente de Ensino e Pesquisa do HUB, Renato Antunes.

A visita ajudou estudantes a decidirem o que seguir e deixou outros ainda mais confusos. “Estava muito em dúvida e agora já tenho certeza do que quero fazer: nutrição”, garantiu a aluna do terceiro ano do ensino médio Mariana Santos. “Estava pensando em direito, mas a feira me fez pensar em talvez mudar minha área e fazer medicina. Agora estou dividido”, admitiu o estudante também do terceiro ano do ensino médio Diego Rodrigues.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB