Notícias Notícias

Voltar

Passagem de cateter central é tema de curso

Qualificação

Passagem de cateter central é tema de curso

Capacitação em passagem de PICC, realizado em parceria com o Coren-DF, capacita 40 enfermeiros

O Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), em parceria com o Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal (Coren-DF), promove um curso para enfermeiros em passagem de cateter central de inserção periférica, conhecido pela sigla em inglês PICC. A primeira turma, realizada dias 25 e 26 de agosto no Centro de Simulação Realística do HUB, capacitará 30 enfermeiros do HUB e 10 do Coren-DF.

De acordo com a chefe da Unidade de Pós-graduação do HUB, Juliana França da Mata, esse tipo de acesso vascular é utilizado para administração de medicamentos em pacientes que apresentam limitação de acesso ou que precisam usá-lo por longo período, como os casos de internação. “Com o treinamento, os enfermeiros do HUB estarão habilitados a realiza a técnica, o que traz segurança na infusão da medicação e conforto ao paciente, que não precisará ficar trocando o acesso”, explicou.

O curso tem duração de 20 horas, divididas em atividades teóricas e práticas. Os participantes terão a oportunidade de treinar em manequins, com modelos usados para simulação. “É muito importante essa capacitação profissional para que vários enfermeiros tenham a habilidade de conhecer a técnica, mesmo que não passem cateter na prática”, afirmou um dos instrutores, o coordenador-técnico assistencial do Hospital Sírio Libanês, Fernando Carlos da Silva.

Para passar o cateter, o enfermeiro precisa da habilitação, certificada pelo Coren-DF. “Com a capacitação nesse procedimento, o enfermeiro consegue fazer o cuidado de forma mais precisa, segura e sem interrupção. É por meio do conhecimento e do empoderamento que o profissional pode fazer a diferença”, destacou o conselheiro do Coren-DF, Adriano Araújo, conselheiro do Coren-DF.

A enfermeira Marcela Assunção, que atua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto do HUB, ainda não tinha a habilitação. “Esse curso é muito importante, pois é um cateter que tem menor risco e pode facilitar para a assistência ao paciente”, relatou a profissional. A expectativa é habilitar em torno de 150 enfermeiros do HUB, com a realização de novas turmas nos próximos meses.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB