Notícias Notícias

Voltar

HUB recebe novo equipamento de radioterapia do Ministério da Saúde

Ampliação

HUB recebe novo equipamento de radioterapia do Ministério da Saúde

Expectativa é iniciar o atendimento à população em aproximadamente 90 dias

Nesta quinta-feira (20), o Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), deu mais um passo rumo à ampliação do serviço de radioterapia no Distrito Federal, com a entrega pelo Ministério da Saúde de um novo acelerador linear. A expectativa é iniciar o atendimento à população em aproximadamente 90 dias, depois do cumprimento de todas as etapas obrigatórias para que o aparelho entre em funcionamento.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, explicou que foram adquiridos cem aparelhos pelo Plano de Expansão dos Serviços de Radioterapia do MS, sendo o do HUB o quinto entregue no país. “Esperamos avançar muito rapidamente na oferta dos serviços, procurando fazer com que o paciente se desloque menos para ser atendido. Priorizamos novas instalações, mas também estamos renovando os equipamentos”, ressaltou o ministro. O investimento do ministério com a construção do bunker (espaço destinado para instalação do aparelho) e a compra do aparelho ficou em torno de R$ 4,3 milhões.

A superintendente do HUB, Elza Noronha, afirmou que já está em negociação com a Secretaria de Saúde (SES-DF) a inclusão de um termo aditivo ao contrato de prestação de serviços formalizado com a pasta em janeiro deste ano. “O atendimento de radioterapia no DF funciona em regulação. Já começamos as conversas com a secretaria para poder receber os novos pacientes, a partir do momento em que estivermos com o aparelho funcionando em sua totalidade e com segurança para a população”, disse.

De acordo com o secretário de Saúde do DF, Humberto Fonseca, a entrega do equipamento ajudará a agilizar a fila pelo tratamento no Distrito Federal, que hoje já soma mais de 800 pessoas. “A ampliação do serviço no HUB já estava prevista no próprio contrato com a secretaria. Se aumentar o serviço, aumenta o valor do repasse orçamentário. Essas vagas já entram na regulação da Secretaria de Saúde”, explicou.

Para o chefe da Unidade de Oncologia do HUB, Marcos Santos, o DF precisaria de pelo menos seis equipamentos em funcionamento integral pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para equilibrar a demanda e a oferta. “A chegada do novo aparelho acrescenta em tecnologia, mas fundamentalmente em acesso para a população que está esperando na fila para receber o tratamento”, avaliou.

O presidente da Ebserh, Kleber Morais, acredita que o novo equipamento trará avanço aos pacientes, além do ensino, da pesquisa e da extensão. “O hospital universitário tem a obrigação, por excelência, de ser uma unidade que possui os melhores equipamentos. E é o que acontece agora com a instalação desse acelerador linear, que permitirá uma melhoria muito grande no tratamento das pessoas com câncer”, salientou o presidente da estatal.

Ampliação do atendimento
O HUB conta atualmente com um acelerador linear, que tem capacidade para quatro pacientes por hora. Já o novo pode atingir volume 25% maior, de aproximadamente cinco pacientes por hora. Com os dois aceleradores funcionando em capacidade máxima, nos três turnos (manhã, tarde e noite), o número de atendimentos pode chegar a 135 por dia, dependendo da disponibilidade de insumos e recursos humanos.

Próximas etapas
Com a chegada das partes do acelerador linear, será necessário realizar várias etapas, muitas feitas simultaneamente, para que o aparelho entre em operação. A conclusão de todas as fases, que pode levar 90 dias, inclui montagem e testes, contratação por concurso público e treinamento do pessoal, compra de insumos via licitação pública, autorização da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e inclusão do serviço no contrato do HUB com a Secretaria de Saúde do Distrito federal (SES-DF). 

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB