Notícias Notícias

Voltar

HUB atende 206 pacientes em mutirão

Esforço

HUB atende 206 pacientes em mutirão

Realização de consultas, exames e cirurgias marcou dia dedicado a reduzir fila de espera do Sistema Único de Saúde no DF

A dona de casa Marli Souza, de 34 anos, convive há cinco anos com crises de dor no estômago, devido à presença de pedras na vesícula. A solução para viver melhor era passar pela cirurgia de retirada do órgão, procedimento que ela conseguiu fazer no 2º Mutirão do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), realizado dia 31 de maio. A cirurgia ocorreu poucos meses depois da primeira consulta. “Fiquei surpresa ao ser chamada, pois pensei que demoraria mais tempo. Foi tudo rápido e tranquilo”, contou ela.

Ela foi uma do total de 206 pacientes atendidos. Foram oito cirurgias, 91 exames, divididos entre 31 ecografias mamárias, 24 mamografias e 36 gonioscopias e pacmetrias (usados para diagnóstico de glaucoma), e 107 consultas, sendo 30 em odontologia, 37 em otorrinolaringologia e 40 em oftalmologia. A previsão inicial era ofertar 289 atendimentos, o que não foi possível devido à ausência de pacientes.

A ação do HUB integrou o Mutirão Nacional da rede de hospitais da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), dia dedicado a reduzir o tempo de espera por atendimento e diminuir a fila do Sistema Único de Saúde (SUS). O atendimento foi direcionado a pacientes selecionados, de acordo com a ardem da lista de espera. O mutirão contou com a participação de pelo menos 80 pessoas, entre profissionais de saúde, médicos, estudantes, residentes e funcionários administrativos.

Paciente da urologia do HUB, o aposentado Sebastião Moreira Gontijo conseguiu consulta na oftalmologia. “Estou com problema grave de catarata em um dos olhos e fiquei muito satisfeito com o atendimento”, disse. Já a doméstica Ana Cláudia Gomes fez o exame de mamografia. “É muito importante esse mutirão. Sempre faço acompanhamento e gostei de ter sido chamada”, declarou ela.

Para o gerente de Ensino e Pesquisa do hospital, Renato Antunes, a iniciativa trouxe como principal aprendizado a reflexão sobre a melhoria dos processos no sistema público de saúde. “Enquanto hospital universitário, devemos pensar qual é nosso papel no sistema, que é ofertar cirurgias e procedimentos de alta complexidade, e como melhorar o fluxo de atendimento aos pacientes”, refletiu.

Com problema crônico de sinusite, a auxiliar de serviços gerais, Alaíde Maria Vieira, recebeu atendimento no serviço de otorrinolaringologia e já saiu com agendamento para fazer o exame videoendoscopia nasal no próprio HUB. “Deus me colocou no lugar certo. Tem gente que passa anos esperando por atendimento e comigo não foi assim”, relatou.

Atividade educativa
Estudantes do último de graduação em medicina da Universidade de Brasília (UnB) tiveram a oportunidade de treinar atendimento de ressuscitação cardiopulmonar em um manequim, por meio de simulação realística. O curso “Suporte básico e avançado de vida em cardiologia” teve a participação de 17 alunos e fez parte do mutirão na área de ensino. “Foi a primeira vez que participei desse tipo de capacitação. Vai contribuir bastante para chegarmos mais preparados à atividade prática, já que estamos para nos formar”, afirmou a estudante Amanda Costa Pinto.

Mutirão nacional
O 2º Mutirão Nacional da Rede Ebserh ofertou 10,5 mil atendimentos, número quase 200% a mais do que o registrado na primeira edição, em 2016. A iniciativa contou com a participação de todos os 39 hospitais universitários filiados à estatal, nas cinco regiões do país. As unidades ofereceram cirurgias, exames, consultas e ações educativas, com envolvimento de 5,5 mil pessoas.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB