Notícias Notícias

Voltar

HUB realiza 470 atendimentos

Ebserh Solidária

HUB realiza 470 atendimentos

Mutirão em comunidade indígena oferece consultas de pediatria, odontologia e clínica geral

Foi um dia de trabalho diferente. Os consultórios médicos deram lugar a tendas montadas dentro de uma terra indígena conhecida como Santuário dos Pajés, em Brasília. No local, cerca de 60 profissionais do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) realizaram atendimentos de pediatria, odontologia, clínica geral e agendaram consultas para a comunidade, que tem cerca de 300 indígenas de quatro etnias. 

“Conseguimos sensibilizar os profissionais e vir aqui hoje. É um processo de construção e todos são beneficiados. Estamos cumprindo uma tarefa que é nossa e, com essa parceria, vamos fazer mudanças”, garantiu a superintendente do HUB, Elza Noronha. “Saímos da invisibilidade. O reconhecimento do HUB e a vinda dos profissionais para cá é muito importante para nós”, comemorou um dos líderes indígenas da comunidade Kamuu Dan.

A ação, realizada nesta sexta-feira (10), fez parte do mutirão Ebserh Solidária, organizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) em todo o país para levar atendimentos itinerantes à população. A atividade no Santuário dos Pajés foi organizada pelo HUB, em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), e realizou mais de 470 atendimentos.

“Pensamos em um evento para sair da nossa zona de conforto e levar atendimento para as populações mais necessitadas. Não adianta fazer apenas o diagnóstico, em todas as cidades as patologias encontradas serão tratadas nos hospitais”, confirmou o presidente da Ebserh, Kleber Morais.

Atividades
Durante todo o dia, a população teve a oportunidade de atualizar o cartão de vacinação, receber vitamina A, ser orientada sobre saúde da criança, escovação e saúde bucal e fazer uma revisão das cáries, além de marcar exames ginecológicos e de outras especialidades. “Sabemos que eles têm que deixar outras pessoas lá e vir nos atender aqui, mas meus parentes também precisam de atendimento”, disse uma das líderes da comunidade Márcia Guajajara.

Também foi realizada uma oficina de interculturalidade para indígenas e profissionais da assistência. “A oficina foi uma oportunidade de conhecer as barreiras que a comunidade indígena enfrenta para chegar aos serviços de saúde e os profissionais para atender essas pessoas. O debate também contribuirá para a elaboração do fluxo assistencial do HUB para o atendimento da população indígena”, afirmou a chefe da Divisão de Gestão do Cuidado do HUB, Micheline Meiners.

A população do Santuário dos Pajés é atendida pela Região Centro-Norte de Saúde da SES-DF. Antes do mutirão, foi feito o cadastramento dos moradores. “Estamos vivendo um processo de conversão do modelo de atenção primária tradicional para a saúde da família. Precisamos conhecer o território e as lideranças para abrir as portas das unidades para a população”, explicou a gerente do Centro de Saúde nº 13 da SES-DF, responsável pelo atendimento primário no Santuário, Ana Carolina Tardin. Os casos mais graves são encaminhados para o HUB.

Saúde indígena no HUB
O HUB é referência no atendimento à população indígena do Distrito Federal. Desde 2013, o hospital conta com o Ambulatório de Saúde Indígena. O serviço é formado por profissionais de saúde, professores e alunos da Universidade de Brasília (UnB), a maioria indígena. Eles são responsáveis pelo acolhimento dos pacientes indígenas e acompanhamento nas consultas, procedimentos e internação. Esse trabalho facilita o contato entre médico e paciente, já que reduz as dificuldades causadas pelas diferenças culturais.

Ebserh Solidária
A ação nacional organizada pela Ebserh foi um mutirão de atendimento de saúde fora do ambiente hospitalar que levou ações de prevenção e promoção da saúde para locais onde as dificuldades de acesso são maiores. Com a participação de 38 hospitais universitários federais da Rede Ebserh, foram realizados mais 7,5 mil procedimentos. Foram atendidas populações em situação de vulnerabilidade social, pacientes em espera na fila de regulação, moradores de comunidades com grande distância de centros urbanos, além de creches, asilos, escolas e comunidades diversas. 

 

 

10-11-2017 Ebserh Solidária, milhares de pessoas são atendidas em ação nacional de saúde.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB