Notícias Notícias

Voltar

Pacientes internados ganham festa

Dia das Crianças

Pacientes internados ganham festa

Comemoração contou com pipoca, bolo, sorvete, brincadeiras, histórias e presentes

O Dia das Crianças chegou mais cedo na internação da pediatria do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) para levar diversão aos pequenos pacientes. No dia 10 de outubro, a preocupação com exames e medicamentos deu lugar à pipoca, bolo, sorvete, brincadeiras, contação de histórias e distribuição de presentes. 

Paulo Henrique Souza, de 9 anos, ganhou um bolo de chocolate sem açúcar, já que ele tem diabetes. “Eu gostei muito de fazer a joaninha de papel. Foi legal”, disse. Tema da festa, a joaninha estava presente na decoração e na história contada pela professora voluntária Marli Pereira. “Contar histórias ajuda muito na criatividade e desenvolvimento das crianças”, avaliou ela.

A inspiração veio do livro Uma Joaninha Diferente, que trata da inclusão social. Quem prestou atenção em tudo foi a Sara Celina Rodrigues, de seis anos. “Eu gosto de historinhas. A melhor parte foi quando cantaram para a joaninha”, lembrou. A mãe, Edna Rodrigues Campos, acompanhava atenta o comportamento da filha. “É muito importante esta atividade. O atendimento aqui é muito bom e todos são muito carinhosos”, disse ela.

A autora do livro participou da festa e sorteou um livro às crianças. “É muito gratificante estar nesta comemoração. O contato entre escritor e leitor empodera, mostrando que é acessível e possível para qualquer um”, refletiu. Perto do fim do evento, uma das organizadoras percebeu que os objetivos foram alcançados. “É uma forma de trazer um pouco da vida lá de fora para dentro do hospital, deixando a criança motivada e ajudando na sua recuperação”, afirmou a pedagoga do HUB, Bianca Teixeira.

A atividade foi realizada na Brinquedoteca Renato Russo, com o apoio da Associação de Voluntários do HUB, Unidade de Nutrição, Sanoli, contadora de histórias e estudantes de pedagogia da Universidade de Brasília (UnB). “O objetivo deste local é justamente trazer um momento lúdico e amenizar a dor da doença, tirando esse estigma de que hospital é um ambiente triste”, afirmou a estudante do 6º semestre Zuleide Rabelo.

A voluntária Glória Maria de Sá Vasconcelos (Glorinha) reforçou também a importância da iniciativa para os acompanhantes. “Procuramos transmitir alegria, força e coragem não só para a criança, mas para os familiares, nesse período que é passageiro”, declarou. A mãe da Kauane Pereira de Araújo, que tem um ano e 11 meses, concordou. “Esta é a terceira vez que minha filha é hospitalizada só neste ano. Ter esse momento divertido e diferente é muito bom”, disse Jéssica Pereira dos Santos.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB