Notícias Notícias

Voltar

Serviço do HUB completa 30 anos de existência

Diálise Peritoneal Domiciliar

Serviço do HUB completa 30 anos de existência

Evento para comemorar a data reúne equipe do setor e profissionais que fizeram parte da história

Já são 30 anos oferecendo tratamento a pacientes com insuficiência renal e contribuindo para a formação de inúmeros profissionais. O Serviço de Diálise Peritoneal Domiciliar do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) foi oficialmente implantado no dia 5 de agosto de 1987 e, nesta terça-feira (8), foi realizado um evento para comemorar a data.

“Para a governança, são esses momentos que motivam os desafios diários que enfrentamos”, garantiu a gerente de Atenção à Saúde do HUB, Maria Inês de Toledo, que representou a Equipe de Governança do hospital.

Responsável pela criação do serviço, o nefrologista Eduardo Corrêa foi homenageado pela equipe do setor. “Estou emocionado, é uma recompensa inesperada por 30 anos de dedicação”, afirmou Eduardo. “Não foi fácil chegar até aqui e isso se deve a persistência do Doutor Eduardo. Tenho muito orgulho de ter feito parte dessa equipe”, acrescentou a enfermeira Elinete Soares, que trabalhou no Centro de Diálise do HUB de 1978 até 2013 e no evento representou a equipe multiprofissional do setor.

O professor Joel Russomano, que atua na área de nefrologia do HUB e da Universidade de Brasília (UnB) desde 1980, também recebeu uma homenagem. “Agradeço muito, apenas colaborei para que tudo seguisse seu rumo. Quero parabenizar toda a equipe, vocês fazem parte dessa história”, disse ele.

A equipe do Centro de Diálise conta com dois médicos, oito enfermeiros, uma assistente social, uma psicóloga e uma nutricionista. “São exemplos de profissionais a serem seguidos. Se temos uma técnica que promove melhor tratamento e qualidade de vida ao paciente, não tem porque não acreditar”, completou o responsável técnico do setor, Flávio Moura.

Nesses 30 anos, a diálise peritoneal domiciliar do HUB beneficiou 183 pacientes, e atualmente conta com 24. Por meio de um convênio do hospital com a empresa que fornece as máquinas para o tratamento, o paciente recebe o equipamento em casa. No HUB, ele participa de um treinamento para aprender a manusear a máquina e passa por consultas mensais com o médico e a equipe multiprofissional.

O engenheiro Frederico Moura, de 30 anos, descobriu a insuficiência renal crônica há dois anos. Desde então, faz a diálise em casa 11 horas por dia. “Ficar doente é muito difícil, mas o atendimento do HUB torna as coisas mais leves, mais humanas”, contou Frederico.

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB