Notícias Notícias

Voltar

UTI avança na implantação de projeto

Segurança do paciente

UTI avança na implantação de projeto

Hospital Moinhos de Vento visitou HUB para iniciar a etapa de fortalecimento da liderança

O Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) avança na implantação do projeto Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil, realizado por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). No dia 6 de junho, o HUB recebeu a visita da representante do Hospital Moinhos de Vento, Elenara Ribas. O objetivo foi apresentar as orientações para o início de mais uma das quatro áreas abrangidas pela iniciativa, o fortalecimento da liderança. 

“Este é o passo inicial desta nova fase. A proposta é sugerir atividades para serem testadas, mas o hospital tem liberdade para colocar em prática outras ideias”, explicou Elenara. Tutor do HUB no projeto, o Hospital Moinhos de Vento, junto com outros quatro hospitais de excelência do Brasil, é responsável por contribuir com as 120 instituições públicas participantes para o desenvolvimento das melhores práticas na redução das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde em Unidades de Terapias Intensivas (UTI). 

O HUB já iniciou a implantação dos pacotes de medidas referentes às outras três áreas, voltadas especificamente à assistência: redução das taxas de infecção da corrente sanguínea associada ao uso de Cateter Venoso Central (CVC); de pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV); e de infecção do trato urinário (ITU). A meta é reduzir 50% desses três tipos de infecção até 2020. “Agora é o momento de compreender o que se espera da liderança, que tem o papel de aperfeiçoar o processo de gestão de mudança”, avaliou a técnica do programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde, Luciana Yumi Ue.

A UTI do HUB conta com 19 leitos, sendo 10 gerais e 9 para doenças cardíacas, e 105 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas. “Para incentivar os profissionais a aderirem ao projeto, a equipe foi dividida em três times, identificados por cores e responsáveis por um tipo de infecção”, contou a chefe da Unidade de Cuidados Intensivos e Semi-intensivos, Márcia Campara.

“O projeto chegou para facilitar e dar suporte ao trabalho que já vinha sendo realizado, mas com outra metodologia”, afirmou a gerente de Atenção à Saúde, Alaíde Castro. “A iniciativa está alinhada aos nossos protocolos e veio reforçar o que já queríamos fazer dentro do hospital”, completou o chefe da Divisão de Enfermagem, Rigeldo Lima.

Também participaram do encontro a superintendente, Elza Noronha, o chefe da Divisão Médica, Rodolfo Borges de Lira, a chefe do Setor de Vigilância em Saúde, Sabrina Martins, e a coordenadora da Comissão de Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (CCIRAS), Isabela Pereira. Em dezembro de 2017, o HUB assinou a carta de intenção. Nesta sexta-feira (8), houve a assinatura do Termo de Compromisso, que oficializa a participação do hospital no projeto.

O projeto
A iniciativa é coordenada pelo Ministério da Saúde em parceria com os cinco hospitais de excelência do Brasil: Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e Hospital Moinhos de Vento (RS). A expectativa é evitar cerca de 8.500 acidentes adversos seguidos de morte por ano nas UTIs dos hospitais participantes. 

Imagens:

Assessoria de Comunicação do HUB