Saúde Saúde

Unidade de Transplante do HUB ultrapassa 200 cirurgias

Balanço

Unidade de Transplante do HUB ultrapassa 200 cirurgias

O Hospital Universitário de Brasília (HUB) já soma 202 procedimentos de transplante renal realizados desde o início de implantação do serviço, em 2006. O avanço reflete-se pelo tempo levado a alcançar esse número. Para atingir o 100º paciente, a instituição precisou de seis anos, já o alcance do 200º paciente ocorreu em apenas dois anos.

“Hoje, temos um tempo de espera em torno de um mês, o que é considerado quase fila zero. É o tempo de inscrição, fazer os exames e ser transplantado”, explica Giuseppe Cesare Gatto, nefrologista da Unidade de Transplante. Segundo ele, o HUB, o Hospital de Base e o Instituto de Cardiologia atuam em conjunto para beneficiar os pacientes da região.

De acordo com Anderson Galanti, da Central Estadual de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos, o Distrito Federal ocupa uma boa posição na realização de transplantes. “No ano passado, o DF liderou o ranking nacional em captação e transplante”, lembra ele. “Este encontro no HUB é uma oportunidade para materializar e visualizar os resultados”, completa.

Os dados foram apresentados durante o evento de confraternização da Unidade, realizada dia 5 de dezembro de 2014, no auditório da instituição. O encontro reuniu 90 pessoas, entre colaboradores, pacientes, familiares e autoridades locais. “É um momento de reencontrar as pessoas e de reafirmar as intenções do serviço. Apesar de todas as dificuldades, queremos fazer mais e melhor”, diz Rômulo Maroccolo Filho, chefe da Unidade de Transplante.

Visivelmente emocionado, o superintendente do HUB, Hervaldo Sampaio Carvalho, destacou a importância de conscientizar as pessoas sobre o funcionamento do serviço para atender as necessidades da comunidade. “O dia de hoje é uma fonte de energia para toda a equipe, que possibilita qualidade de vida aos pacientes e faz a diferença na vida das pessoas”, afirma.

Durante a confraternização, houve apresentações musicais, homenagem aos ex-colaboradores da Unidade e depoimentos de pacientes que já realizaram o transplante de rim. “Os profissionais do HUB me devolveram a vida. Hoje, faço dança de salão cinco vezes por semana, corro 3km quase todos os dias e continuo trabalhando”, relata Eraldo Maurício de Araújo, transplantado em janeiro deste ano.

Já o paciente Luiz Carlos Viana passou pelo procedimento em 2007. Desde então, participa de todas as confraternizações da Unidade. “No primeiro evento, eu estava recém-operado. Fazia apenas cinco dias que eu tinha feito a cirurgia. Hoje, agradeço a equipe a o apoio da minha mãe”, conta ele.

Assessoria de Comunicação do HUB