Notícias Notícias

Voltar

Setembro Verde pela doação de órgãos no Hucam

Solidariedade

Setembro Verde pela doação de órgãos no Hucam

Comissão Intra-hospitalar de Doações de Órgãos e Tecidos para Transplante organiza programação especial

O Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam), em Vitória (ES), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), sela o laço verde neste mês de setembro para a Campanha Nacional de Doação de Órgãos. O hospital, administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), tem um papel único na política de transplantes e captação de órgãos do Estado, com a formação de profissionais de saúde.

Neste mês, o Hucam organizou uma programação especial para celebrar a campanha. O objetivo é convencer a cada cidadão de que é importante conversar com a família sobre a disposição em ser doador de órgãos. Confira a programação. O Hucam, por obrigação legal, mantém sua a Comissão Intra-hospitalar de Doações de Órgãos e Tecidos para Transplante (Cihdott) do  Cihdott, com especialização para realizar as entrevistas a parentes de possíveis doadores diagnosticados com morte cerebral.

A formação de uma consciência coletiva sobre a importância da identificação e manutenção de pacientes que podem vir a ser doadores de órgãos para transplante é a intenção da Cihdott, de acordo com sua coordenadora, a enfermeira Rosane Simões.

Em atividade constante, a comissão do Hucam já fez, no ano passado, um  curso de capacitação para habilitar o profissional de saúde para o momento da entrevista obrigatória aos parentes dos potenciais doadores. O consentimento da família é indispensável para a doação seguir seu processo, de acordo com a legislação brasileira.

A aceitação da família ainda é o principal obstáculo a doação no Espírito Santo. De acordo com relatório da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), entre janeiro e junho deste ano, 57% dos parentes entrevistados recusaram a doação.

Uma vez identificado o possível doador e fechado o protocolo de morte encefálica - que é indispensável -, o caso é informado à Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos da Secretaria de Estado de Saúde. Lá, são avaliados todos os parâmetros do possível doador antes de informar a ocorrência ao Ministério da Saúde. É a pasta da União que, por sua vez, consulta uma lista nacional de pacientes que aguardam órgãos e tecidos para transplantes.