Notícias Notícias

Voltar

Espaço Nise da Silveira comemora seu terceiro ano de atuação

saúde mental

Espaço Nise da Silveira comemora seu terceiro ano de atuação

Foi com a trigésima edição do projeto CineMental, que o Espaço Nise da Silveira comemorou, na última quinta-feira (29), seus três anos de existência. Além do Cine, para relembrar a trajetória do projeto, foi organizada uma exposição com desenhos feitos em oficinas oferecidas pelo Espaço.

Com a intenção de contar um pouco a história de Nise da Silveira, psiquiatra alagoana que dá nome ao Espaço, o filme exibido foi o documentário Olhar de Nise, de Jorge Oliveira e Pedro Zoca. Após a exibição, as quinze pessoas presentes tiveram um momento para discutir sobre o filme e, também, comentar sobre a personalidade de Nise da Silveira e seu importante trabalho na psiquiatria brasileira.    

Além do debate, não teve quem não dedicasse um pouco do tempo para prestigiar os desenhos expostos no corredor do andar. As obras, feitas com tinta e muita criatividade, traziam amostras de trabalhos feitos nas oficinas Niseriar é Possível, realizada pela oficineira Rita de Cássia Barcellos e Colorindo Nossas Emoções, que teve como oficineira Sara Santos.

Criado em 26 de novembro de 2015, o Espaço Nise da Silveira, coordenado pela médica psiquiatra Martha Noal, surge com o objetivo de ampliar as ações já promovidas pela Associação de Familiares, Amigos e Bipolares (AFAB), sendo essas ações capacitações e, também, articulação em saúde mental em Rede de Atenção à Saúde (RAS). Para Marian Noal Moro, professora aposentada do Centro de Ciências Naturais e Exatas da Universidade Federal de Santa Maria (CCNE/UFSM), ativista pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e frequentadora assídua do Espaço Nise, a criação do espaço foi algo muito importante para a comunidade.

- A criação do Espaço Nise foi um processo muito interessante, porque quando a gente decidiu cria-lo, foi no sentido de estar abrindo o espaço. Embora a AFAB sempre estivesse aberta a todos, o nome da AFAB, contendo o “bipolares” acabava particularizando e aí algumas pessoas não apareciam. Então, com a criação do Espaço Nise começaram a aparecer mais – reitera Marian.

Além de contribuir com a AFAB, com ações promovidas sem fins lucrativos, o Espaço Nise possui em seu seio subprojetos, que visam a assistência psicossocial. Dentre eles estão o Comunidade de Fala, projeto CineMental e Sarau Literário – que antes era a oficina de Karaokê – e Ponto de Leitura Sérgio Walter. Além disso, possui participação ativa no Projeto de Extensão Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, em Visitas Guiadas, em Congressos da AFAB, no Fórum Permanente de Saúde Mental da Região Central e no Grupo de Trabalho Integrado de Enfrentamento à Violência.

 

 

Quem foi Nise da Silveira, a mulher que deu nome ao Espaço?

Foi uma psiquiatra alagoana, nascida no ano de 1905, que enxergou a riqueza dos seres humanos que estavam no “meio do caminho”. Formou-se em 1926 na Faculdade de Medicina da Bahia, sendo a única mulher em uma turma de 157 estudantes. Em 1944, implementou a terapia ocupacional no manicômio, pois se negava a compactuar com os métodos de tratamentos da época – que incluíam eletrochoques, lobotomia, camisas de força e isolamento. Além disso, foi pioneira ao introduzir a arte para tratar de problemas graves de saúde mental, pois notou que pacientes esquizofrênicos graves usavam das artes plásticas para mostrarem sua “voz”. Entre muitos outros feitos, Nise foi uma grande escritora e ajudou a escrever a história da psiquiatria, apontando falhas, contestando práticas e apresentando soluções. No ano de 1999, com 94 anos, Nise vem a óbito.   

 

O que é a Associação de Familiares, Amigos e Bipolares (AFAB)?

É um Projeto de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), criado em 1997. Funciona como uma instituição sem fins lucrativos que objetiva a educação em saúde, a promoção de saúde e a prevenção de doenças, sob a lógica da Reforma Psiquiátrica, da Interdisciplinaridade, Transversalidade e da Clínica Ampliada.

A AFAB está localizada no 3º andar do prédio do antigo hospital Universitário, na Rua Floriano Peixoto. Informações pelo telefone (55) 3220 9238.