Notícias Notícias

Voltar

No primeiro dia do Ambulatório para toxoplasmose, HUSM avaliou 43 pessoas

fique alerta aos sintomas

No primeiro dia do Ambulatório para toxoplasmose, HUSM avaliou 43 pessoas

  Na tarde de sexta-feira, 27, o Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) iniciou o atendimento dos pacientes diagnosticados com toxoplasmose, encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde e pelo Núcleo de Vigilância do próprio hospital, que tiveram exames positivos para a doença e apresentavam sintomas agudos (dor de cabeça, febre e ínguas na região do pescoço e da nuca).

  Nesse primeiro dia, foram atendidas 43 pessoas. Após a consulta com o infectologista, os pacientes passaram por avaliação oftalmológica para saber se havia lesão ocular. Um deles apresentou problemas de visão e seguirá sendo acompanhado pelos profissionais do HUSM. Contudo, o médico oftalmologista Álvaro Rossi alertou que os sintomas podem aparecer a qualquer momento.

- Os pacientes devem ficar atento. Se apresentarem sinais como olho vermelho, visão turva e dor, devem procurar imediatamente um oftalmologista – orientou.

  De acordo com a Gerente de Atenção à Saúde, Soeli Guerra, antes de chegarem ao HUSM, os pacientes devem passar por avaliação na Rede Básica.

  No início da semana – diante do surto de toxoplasmose no município – o hospital universitário colocou à disposição dois novos ambulatórios criados para atender usuários previamente encaminhados pelo serviço de regulação da 4ª CRS e ou da Secretaria de Município da Saúde de Santa Maria agendados via SISREG: O Ambulatório de adultos, que funcionará às terças e sextas-feiras, na Ala B, das 13h às 18h e atenderá 40 pacientes por dia. E o Ambulatório de gestantes que, além dos ambulatórios já existentes com agendamento via regulação regional, o Centro Obstétrico disporá de mais 10 vagas, todas as terças-feiras à tarde.

  O atendimento às crianças com suspeita ou casos confirmados de toxoplasmose congênita são, rotineiramente, atendidos no ambulatório de Infectologia Pediátrica. A partir dessa semana, será disponibilizado um ambulatório específico em virtude do possível surto nas crianças.

  O número de casos da doença não para de crescer. No primeiro Boletim divulgado pelo Estado, dia 20 de abril, eram 26 casos. Na última terça-feira passou para 51 e na sexta-feira, dia 27, foram comunicados 105 casos confirmados. A Vigilância Epidemiológica do Estado considera casos confirmados, os pacientes que tiveram dois exames positivos para a doença. Contudo, os médicos infectologistas de Santa Maria – que estão atendendo a população em consultórios públicos e privados – afirmam que esse número é bem maior.

- Conforme levantamento de dados que solicitamos a UPA, laboratórios privados e consultórios públicos e privados, temos hoje (27 de abril) 253 pacientes com, pelo menos, um teste reagente e 81 pacientes com suspeita clínica à espera do resultado teste. Todos apresentam sintomas clínicos – explica Fábio Lopes Pedro, infectologista do HUSM.https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

  Desse total de casos, 277 são adultos, 52 gestantes e 5 crianças. Veja tabela abaixo.

  Segundo o levantamneto feito pelos médicos durante a anamnese dos pacientes (entrevista clínica), a distribuição geográfica dos casos se concentra nas regiões Oeste e Norte, nos bairros Divina Providência, Passo D’Areia, Parque Pinheiro Machado, Cohab Tancredo Neves, Vila Urlândia e Vila Goiânia.

- Temos outros casos pela cidade, mas a maioria dessas pessoas tem alguma atividade desenvolvida nessas regiões ou realizou visitação a familiares nesses locais – explica o médico.

  A única forma de evitar a contaminação é reforçar a prevenção. Cuidados como ferver a água e não consumir carnes cruas ou malpassadas devem ser priorizados pela população.

 

 

Adultos

229 com um teste positivo

48 com suspeita clínica: sintomas  e a espera do resultado do exame

Gestantes

19 com um teste positivo

33 com sintomas e a espera do resultado do exame

Crianças

5 com um teste positivo

 

 

 

  FONTE: Infectologistas do HUSM

Imagens: