Nossa História Nossa História

Histórico

O Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará é um centro de referência para a formação de recursos humanos e o desenvolvimento de pesquisas na área da saúde, assim como desempenha importante papel na assistência à saúde do Estado do Ceará, estando integrado ao Sistema Único de Saúde (SUS). Como centro de referência para ensino, funciona como campo de estágio para os alunos de graduação e pós-graduação dos cursos de Medicina, Enfermagem e Farmácia da UFC, assim como recebe os alunos da área da saúde de outras universidades do Estado e de fora dele. Reúne qualificados profissionais e nele são gerados conhecimentos na área de pesquisa clínica, cirúrgica e farmacologia clínica. A história do Walter Cantídio confunde-se com a história da Faculdade de Medicina no Ceará.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Visita à UTI em 1975
 
Em meados de 1939, o professor Antônio Austragésilo, destacado nome da Medicina nacional, em visita ao seu antigo aluno e colega Doutor Jurandir Morais Picanço, falou-lhe da necessidade e conveniência da implantação de uma Faculdade de Medicina em Fortaleza. Somente em 1947, com incentivos legados do I Congresso de Médicos Católicos realizado em Fortaleza, foi fundada a "Sociedade Promotora da Faculdade de Medicina do Ceará", com o Doutor César Cals de Oliveira na Presidência de Honra e o Doutor Jurandir Morais Picanço, na Presidência.

A então "Sociedade Promotora da Faculdade de Medicina do Ceará" foi transformada em Instituto de Ensino Médico, que seria o órgão com os encargos jurídicos de manutenção da Faculdade. Sua primeira Diretoria assim se compunha: Presidente de Honra - César Cals de Oliveira; Presidente - Jurandir Picanço; Vice-Presidente - João Otávio Lôbo; 1º Secretário - Antônio Jorge de Queiroz Jucá; 2º Secretário - Haroldo Juaçaba; Tesoureiro - Eliezer Studart da Fonseca; Diretores - João Batista Saraiva Leão, José Ossian de Aguiar, Paulo de Melo Machado e Walter de Moura Cantídio. 

Cumprindo o primeiro objetivo, tratou o Instituto de Ensino Médico de atingir o segundo, o complemento natural da nova escola: um Hospital de Clínicas. 

Em 1944, havia-se iniciado no bairro de Porangabuçu, hoje Rodolfo Teófilo, a construção do "Hospital Carneiro de Mendonça", interrompida posteriormente por falta de verbas. O Instituto de Ensino Médico interessou-se em dar continuidade à obra, que foi transferida, no governo de Faustino de Albuquerque, à Faculdade de Medicina. Com a ajuda da União, defendida pelo deputado Paulo Sarasate, e outros auxílios federais, foi dada continuidade à obra.

Em 1952, foi iniciada a construção da 1ª Unidade do Hospital de Clínicas, destinada à área de Medicina Interna e Doenças Infecto-Contagiosas (isolamento) em convênio com o Departamento Estadual da Saúde. Essa unidade constituiu-se o núcleo embrionário do atual Hospital Universitário.

Em 1954, com a sua integração à Universidade, a Faculdade de Medicina ficou com maiores possibilidades de dar continuidade às obras do hospital, retomadas no fim de 1956 e conduzidas daí em diante, com vigor e determinação.

Com razoável rapidez, executou-se o plano traçado. Já em junho de 1957, tornava-se possível a transferência da Faculdade de Medicina para o hospital. Em 1959 foi inaugurado oficialmente o Hospital das Clínicas com a presença do Presidente da República, Juscelino Kubitschek.

No período de 1958 a 1966, a administração da Faculdade de Medicina dirige também o hospital. Em 1967, com a transferência da Faculdade de Medicina para um prédio próximo ao local, o mesmo teve a estrutura administrativa mais bem definida, contudo hierarquicamente subordinado à Faculdade de Medicina.

Em 1974, pelo convênio assinado entre a Universidade Federal do Ceará e a Sociedade de Assistência à Maternidade Escola Assis Chateaubriand, o gerenciamento do hospital passou à responsabilidade desta Sociedade.

Nos anos subsequentes, o Hospital das Clínicas passa por sucessivas reformas e ampliações na área física com o aumento do número de leitos e a criação de novos serviços. Paulatinamente, tornou-se hospital de referência não só para a Capital como também para o interior do Estado.

No início da década de 80, passou a ser chamado Hospital Universitário Walter Cantídio, em homenagem ao professor doutor Walter de Moura Cantídio, um de seus fundadores.
 
Hoje, o Walter Cantídio se caracteriza como unidade que presta assistência de alta complexidade à saúde, realizando desde transplantes renal e hepático, de forma rotineira, até pesquisas clínicas vinculadas a diversos programas de pós-graduação regionais e nacionais, além de participação em estudos multicêntricos em protocolos de pesquisa clínica avançada.

Enquanto unidade acadêmica, destaca-se como a maior sala de aula e centro de pesquisas clínicas da UFC e do nosso Estado. Ser a unidade de saúde de referência local e regional no ensino, pesquisa e assistência de alta complexidade é o desafio que a atual Diretoria do HUWC deseja compartilhar com todos que o fazem.