Notícias Notícias

Voltar

Alianças marcam a proposta do Distrito de Inovação em Saúde do Porangabussu

Viva@Porangabussu

Alianças marcam a proposta do Distrito de Inovação em Saúde do Porangabussu

Políticos, autoridades universitárias, empresários, gestores públicos e privados, lideranças comunitárias e moradores participaram na manhã desta terça-feira (30) da solenidade de lançamento do programa Distrito de Inovação em Saúde Viva@Porangabussu, pioneiro na área na América Latina. O programa, que será realizado através de grande aliança unindo governo, prefeitura, iniciativa privada, a Universidade Federal do Ceará e moradores do Porangabussu e de bairros vizinhos, é definido como uma metodologia de desenvolvimento social para promover inovação e reduzir a desigualdade social, inspirada no Distrito 22@Barcelona, implantado na Espanha, o qual foi considerado o maior e mais ousado projeto de transformação urbana da Europa.
O cardiologista e presidente do Instituto de Ciências Médicas, Carlos Roberto Martins Sobrinho, explica que a escolha da área para a realização desse projeto ousado não foi por acaso. “O fato de reunirmos aqui uma completa estrutura de saúde, que inclui os Hospitais Universitários, o ICM, os cursos de saúde da UFC, o Hemoce, o Instituto do Câncer do Ceará, entre outros, contribuiu sensivelmente para essa definição”, completa.
O médico destaca, ainda, que a produção de conhecimento em ensino e pesquisa, a inovação em saúde e a assistência à população que o Porangabuçu já concentra vai certamente atrair uma quantidade expressiva de investimentos. Empresas como Philips, Siemens, Fundação Dom Cabral e IBM já sinalizaram apoio. O programa terá atividades voltadas para a produção de conhecimento nos campos das ciências da vida e tecnologias médicas e, dentro de sua natureza transformadora, englobará iniciativas voltadas para os aspectos econômicos, sociais, educacionais, culturais, urbanísticos e infraestruturais. 

O coordenador considera que, no prazo de 12 anos, o programa estará implantado, porém destaca que se trata de "um processo que tem início mas não tem fim", pela própria dinâmica social. "Propomos fazer uma modelagem para incluir esse novo modelo de cidade, que tem como tripé Universidade, poder público e empresas privadas. Tudo isso incorporado com a sociedade. É isso que compõe a tríplice hélice do conhecimento e da inovação", explica. 
Entre os benefícios previstos com o 1º Distrito de Inovação em Saúde do Brasil para a região contemplada estão a ampliação e a melhoria na oferta de serviços (transporte, esgotamento sanitário, educação etc); a urbanização da Lagoa do Porangabuçu; e a reestruturação das condições de moradia da população de baixa renda. Além disso, fortes investimentos em inovação e integração em saúde, como a adoção do prontuário único, reunindo informações sobre o paciente num documento acessível a todas as unidades de saúde; a criação de uma central de laudos médicos com funcionamento 24h, reduzindo as filas de espera por exames; entre outros.
Na avaliação do superintendente do Complexo Hospitalar da UFC, Luciano Moreira, as expectativas são as melhores possíveis em relação ao projeto. “Esperamos que o Distrito de Inovação em Saúde possa melhorar o contexto sócio-econômico-estrutural da região. Estamos à disposição para ajudar no que for necessário”, afirma.

Para o reitor Henry Campos, a UFC é "ponta de lança" do Distrito de Inovação em Saúde Viva@Porangabussu, iniciativa que representa "vários sonhos, sonhos de várias gerações" de pessoas que fizeram e fazem a Universidade. O reitor lembrou que, além dos hospitais, várias outras unidades, bem como serviços prestados pela UFC na área de saúde, vão ganhar "um olhar novo e novas oportunidades" com o programa. "Então é meu dever como representante da comunidade universitária fazer uma convocação e um apelo para que todos se engajem nesse projeto, nossas faculdades, cursos e serviços", disse. 

Com colaboração da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC.