Notícias Notícias

Voltar

Projeto controla qualidade do ar em alguns ambientes do Complexo Hospitalar

MONITORAMENTO

Projeto controla qualidade do ar em alguns ambientes do Complexo Hospitalar

Controlar e coordenar tecnicamente as áreas climatizadas artificialmente do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (MEAC) nos postos de trabalho: essa é uma das metas do Setor de Infraestrutura Física (SIF), em parceria com a Unidade de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (USOST). Atenta a essa questão central e consciente da importância para os colaboradores e clientes usuários nas dependências do Complexo Hospitalar, a equipe iniciou as atividades do Plano de Manutenção Operação e Controle (PMOC) e análise da qualidade do ar em junho deste ano. 
O intuito dessa ação planejada é melhorar as condições de bem-estar e conforto aos ocupantes dos diversos espaços climatizados. Ressalta-se que o PMOC se constitui em atender exigências estabelecidas nas Normas e Legislações Brasileiras, mais especificamente ao que dispõe a Lei Federal 13.589 de 04/01/2018, a Resolução-RE/Anvisa n°09 de 16/01/2009 e a Portaria n°3.523 do Ministério da Saúde de 28/08/1998.

Logo após a implantação do PMOC, ainda na primeira fase da execução, profissionais especializados coletaram um total de 50 amostras de ar respirável em pontos estratégicos nas dependências dos HUs do Ceará que foram endereçadas a laboratório especializado para análise. Em um primeiro momento, foram mensurados os índices de qualidade do ar junto a 20 pontos na MEAC e 30 no HUWC.

A figura 1 ilustra o procedimento de coleta que objetiva identificar os níveis de concentração de dióxido de carbono (CO²), aerodispersóides totais no ar, relação de unidades formadoras de colônias de fungos, contagem de fungos, temperatura e umidade relativa do ar.Convém destacar, que a implantação deste, previne a proliferação de diversos microrganismos como fungos, bactérias e ainda partículas que podem interferir na saúde dos ocupantes. Como exemplo, altos níveis de concentração de Dióxido de Carbono (CO²), podem causar fadiga e falta de concentração.
A análise da qualidade do ar associada ao PMOC aponta onde há a necessidade de intervenção em locais fechados e amplamente climatizados nos HUs. A previsão é que, ainda em janeiro de 2019, seja realizada nova coleta e análise, priorizando os pontos (setores) que já foram contemplados na primeira medição, por terem apresentado índices acima do permitido ao que preconiza a legislação vigente. Também será vislumbrada a possibilidade de incluir outros ambientes internos do Complexo, selecionados conforme critério de criticidade atribuído em comum acordo entre as equipes técnica e médica assistencial representadas, respectivamente, pela SIF (Engenharia mecânica) e pelo USOST (engenharia/medicina do trabalho).

As coletas amostrais são encaminhadas para análise e emissão de um Relatório Analítico que, como um laudo, norteará as ações que convém serem implementadas pela área técnica do SIF. Através deste, tornou-se possível melhor estabelecer e implementar políticas bem estruturadas e planejadas de manutenção periódicas e de forma intensificada que respaldam a “limpeza constante dos filtros dos aparelhos de ar Condicionado”.

O gráfico 1 exemplifica parte dos resultados da primeira análise de qualidade do ar apuradas para o elemento concentração de dióxido de carbono avaliados em 10 pontos na MEAC e a ilustração 02 reforça elementos laudados para a concentração de fungos presente no setor Canguru/Enfermaria nos quais encontram-se dentro dos limites permissíveis pela legislação atual. O gráfico 2 exemplifica parte dos resultados da primeira análise de qualidade do ar no HUWC.

Gráfico 02 – Exemplo do resultado atribuído via laboratório no que se refere a medição de concentração de Dióxido de Carbono (CO²) apurados no HUWC.
Fonte: Extraído do Laudo do Controle da Qualidade do Ar.

O engenheiro mecânico Carlos Alberto de Castro Oliveira Júnior, um dos responsáveis pelo projeto, ressalta que o PMOC é um instrumento que também estabelece regras a serem cumpridas nas manutenções dos sistemas de refrigeração/ventilação e ar condicionado. “Isso permite o conhecimento e monitoramento dos locais e/ou postos de trabalho que porventura apresentem parâmetros em desacordo com o recomendado”, explica. “A partir dos resultados dessas análises, teremos um panorama da real situação da qualidade do ar dos ambientes dos HUs, para que assim possamos direcionar com maior eficiência as ações de Engenharia, como por exemplo, a frequência de manutenção e adequações, entre outras medidas”.
Para a Engenheira de Segurança do Trabalho Joiciney Das Chagas, que também está à frente do PMOC, as medidas preventivas do PMOC e o controle da qualidade do ar implementadas pelo Setor de Infraestrutura Física (SIF) certamente proporcionam melhorias das condições ambientais laborativas dos HUs. “Destacamos que a avaliação dos dados apresentados corrobora para o fortalecimento da estruturação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), sendo inclusive objeto de discussão junto à área técnica em engenharia de Segurança e Saúde Ocupacional ”, pontua.