Notícias Notícias

Voltar

HUWC avança na implantação de programa nacional de redução de infecções em UTI

VISITA DO HCOR CONSTATA

HUWC avança na implantação de programa nacional de redução de infecções em UTI

O Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, receberam nessa quinta-feira (14) a visita de uma comitiva do Projeto Colaborativo Proadi-SUS “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, formada por representantes do Hospital do Coração de São Paulo (HCor), do Hospital do Coração de Messejana e da Secretaria da Saúde do Ceará. Para o grupo, os hospitais avançaram bastante na implantação do programa.

As visitantes tiveram a oportunidade de conhecer as estruturas de UTI dos hospitais universitários e acompanhar de perto os indicadores e as boas práticas realizadas nas unidades de terapia intensiva, além de tirar dúvidas das lideranças e das equipes assistenciais sobre o projeto. A colaborativa terá duração de três anos nos 120 hospitais selecionados pelo Ministério da Saúde, entre eles o HUWC e a MEAC.

As 120 unidades estão divididas em grupos coordenados por seis hospitais de excelência. No caso do Ceará, a coordenação é feita pelo Hospital do Coração de São Paulo. A ação visa reduzir em 30%, até 2019, e em 50%, até 2020, as seguintes infecções nas UTIs: trato urinário associada ao uso de cateter vesical, primária de corrente sanguínea associada a cateter venoso central e pneumonia associada à ventilação mecânica.

A visita começou pelo Hospital Universitário Walter Cantídio, onde a comitiva foi recebida pelo superintendente do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, Luciano Moreira. “É muito salutar para nós a realização de visitas in loco. Isso ajuda a aparar arestas, alinhar processos e trocar experiências”, ressaltou o superintendente. Em seguida, as visitantes fizeram uma dinâmica de apresentação com o grupo assistencial. Depois, uma roda de conversa foi formada para esclarecer todas as dúvidas da equipe local acerca do projeto.

“O volume de informações que devem ser alimentadas é expressivo. Tivemos aqui a oportunidade de reajustar esse processo. Com isso, vamos conseguir otimizar o tempo destinado a isso. A visita foi elucidadora”, disse Geovania Maciel de Sousa, líder do projeto no HUWC. Após a roda de conversa, a comitiva seguiu para visita à UTI Clínica do Hospital Universitário Walter Cantídio, acompanhada da equipe assistencial da unidade.

Na comitiva, estavam a médica Andrea Gushken, coordenadora da colaborativa Proadi-SUS pelo Hospital do Coração de São Paulo; e a enfermeira Edileusa Novaes, coordenadora de projetos do HCor. Kamila Sindeaux Barreira, enfermeira e assessora técnica da Gerência de Enfermagem do Hospital do Coração do Ceará; e duas representantes da Secretaria da Saúde do Estado, Magna R. Nojosa Oliveira e Camila Mendes, também fizeram parte da comitiva, como apoio local.

Andrea Gushken disse ter encontrado no HUWC pessoas aguerridas e cheias de disposição. “É uma equipe que está com vontade de aprender, de melhorar e que tem passado isso para a linha de frente. Tem ouvido muito a linha de frente, ensinado bastante. E isso cria um ambiente de aprendizado e uma cultura de melhoria contínua”, destacou. Já Edileusa, que teve a oportunidade de conversar com três pessoas que estão na linha de frente – uma residente, um médico diarista e uma técnica de enfermagem, disse que os três estavam realmente empenhados no projeto, o que mostra, de acordo com ela, o empoderamento da equipe.

Diálogo produtivo

À tarde, o grupo deu continuidade à visita, desta vez na Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, onde foi recebido pelos gestores e membros do comitê local de acompanhamento do projeto. “Foi um momento de troca, de diálogo muito produtivo. O olhar sensível das visitantes nos trouxe muitas sugestões de melhoria e a equipe está bastante engajada, tenho percebido grandes avanços já frutos da colaborativa”, avaliou o gerente de Atenção à Saúde da MEAC, Carlos Augusto Alencar Júnior.

Um dos avanços a que o gerente se referiu é a utilização da metodologia de Mudanças, utilizando como ferramenta pequenos ciclos de PDSA (do inglês Plan, Do, Study, Act, em português: planejar, fazer, estudar e agir) e o acompanhamento de indicadores que, segundo ele, “geram um instrumento de confiança sobre tudo o que está sendo realizado”. Para a chefe do Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, Eugenie Neri, a pauta é absolutamente relevante e o compromisso da MEAC é total. “O paciente é o centro de todas as ações, e por isso, prevenir infecção é uma das nossas prioridades. O envolvimento de todos trará contínuo aprimoramento da qualidade e segurança para os pacientes”, disse.

A coordenadora de Projetos do HCor, Edileusa Novais, ficou bastante impressionada com o desempenho da maternidade. “A equipe da MEAC é bem estruturada, então tem grande chance de sucesso no projeto. O engajamento e a participação da direção fazem a diferença", comentou. Opinião compartilhada com a consultora do HCor e apoiadora dos hospitais do Ceará na colaborativa, Kamila Sindeaux Barreira. “Foi extremamente gratificante chegar à MEAC e encontrar os gestores empoderando toda a equipe e a alegria, a leveza, de todos os participantes do trabalho que têm alcançado todos os objetivos propostos”. 

Assinatura do termo de compromisso

Na manhã de sexta (15), os gestores dos oito hospitais do Ceará – Hospital Universitário Walter Cantídio, Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, Hospital Regional Norte (Sobral), Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (Hospital do Coração de Messejana), Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital Geral Dr. César Cals e Hospital Dr. Waldemar de Alcântara – que estão participando da colaborativa assinaram o termo de compromisso com os objetivos centrais do projeto.

A assinatura ocorreu depois da apresentação do relatório de desempenho referente ao mês de abril de 2018 dos hospitais do Ceará, apresentado pelas representantes do HCor. No geral, Andrea e Edileusa elogiaram a adesão de 100% dos hospitais com relação ao preenchimento do sistema de acompanhamento e o envolvimento da liderança e da linha de frente no projeto.

Sobre a Ebserh

Desde novembro de 2013, o Complexo Hospitalar da UFC é filiado à Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

 

Acesse a galeria de fotos clicando aqui!