Projeto Nascer Projeto Nascer

Projeto Nascer

Com o objetivo de reduzir a transmissão vertical do HIV e a morbimortalidade associada à sífilis congênita, a Maternidade Climério de Oliveira adotou na unidade o projeto Nascer – Maternidades.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a quase totalidade de casos de AIDS em menores de 13 anos de idade no Brasil tem como fonte de infecção a transmissão vertical do HIV e a probabilidade de transmissão vertical do HIV na ausência de qualquer procedimento profilático é de 25,5%. Quando a profilaxia é adotada, a taxa pode reduzir até 67,5%. Outros estudos apontaram que as intervenções profiláticas realizadas somente durante o parto e puerpério podem reduzir em cerca de 50% a probabilidade de transmissão vertical do HIV. Em relação à sífilis em parturientes, a taxa de transmissão vertical é superior a 70% e a taxa de mortalidade por sífilis congênita pode atingir 40% dos casos.

Para ter um controle maior sobre esses números e evitar que as mães passem doenças para seus filhos durante o parto, ou durante a amamentação, foi criado o Projeto Nascer-Maternidades. Dessa forma, a mãe que chega a unidade de saúde, que não tenha realizado esta testagem durante o pré-natal, faz os exames na maternidade. O objetivo é garantir medidas profiláticas de transmissão vertical do HIV para 100% das parturientes HIV positivas detectadas e seus filhos e testar para a sífilis 100% das parturientes atendidas no SUS. Dessa forma é possível garantir o tratamento adequado dos casos de sífilis adquirida em parturientes e de sífilis congênita dos recém nascidos.