Notícias Notícias

Voltar

MEAC comemora 55 anos

Aniversário

MEAC comemora 55 anos

Uma manhã de celebrações no dia 13 de dezembro brindou os 55 anos de contribuições da MEAC para a saúde materno-infantil do Ceará e do Brasil.

A partir das 8h, os grupos Danças Antigas e Doce de Flautas, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), fizeram a abertura do evento. Em seguida (9h), houve a celebração religiosa em ação de graças pelo aniversário da Maternidade. Às 10h, foi apresentada a logomarca de 55 anos da MEAC, com sorteio de brindes na confraternização dos colaboradores.

 

A razão de ser da MEAC

A missão da MEAC é realizar assistência, ensino e pesquisa para o cuidado com excelência à saúde da mulher e do recém-nascido. Tem como visão ser instituição acreditada, referência regional em pesquisa na área de saúde da mulher e perinatal, com profissionais capacitados e cenários de prática adequados. Tem como valores fundamentais o compromisso com: a vida; o acolhimento das pessoas; a formação para o cuidado em saúde; a realização de pesquisas de excelência e a governança política. Na Maternidade-Escola, as ações assistenciais focam, prioritariamente, os princípios da humanização, com cultura participativa, trabalho integrado e interdisciplinar.

 

Destaque em assistência, ensino e pesquisa

 

Indo além de sua função básica de promover o ensino, a pesquisa e a extensão, subsidiando as disciplinas nos cursos da área da saúde da UFC, a MEAC vem consolidando-se, ano após ano, como hospital de referência no Estado do Ceará, no atendimento humanizado à saúde da mulher e do recém-nascido. Atualmente com 171 leitos ativos, coloca à disposição das pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) uma ampla infraestrutura ambulatorial, cirúrgica, obstétrica, diagnóstica e de emergência nas áreas de Obstetrícia, Ginecologia, Mastologia e Neonatologia, com 29 consultórios ao todo. Abaixo, a produção da Maternidade-Escola nos últimos anos seis anos:

De acordo com o Relatório Institucional Assistencial de 2017, a MEAC tem protocolos assistenciais implantados e validados nas áreas de Obstetrícia (32), Ginecologia (25), Neonatologia (52), Anestesiologia (10), Adolescência (11), Mastologia (02), Hemoterapia (07), Segurança do Paciente (09), Controle de Infecção Hospitalar (08), Farmácia (01), Fisioterapia (15), Terapia Ocupacional (02), Nutrição (04) e Atenção Psicossocial (01), totalizando 179 protocolos. Todos encontram-se disponíveis no site da MEAC (www.meac.ebserh.gov.br).

A instituição é responsável também pela formação de alunos de graduação e pós-graduação de inúmeros cursos de saúde da UFC e de outras instituições de ensino superior, especialmente das Residências Médica, de Enfermagem e Multiprofissional. Em 2017, estagiaram na MEAC 1.347 alunos de graduação dos diversos cursos da área da saúde da UFC e de outras instituições públicas e privadas do Ceará e de outros estados do Nordeste, 87 residentes dos programas de Residência da UFC e 28 de programas externos.

O Comitê de Ética em Pesquisa da Maternidade analisou 144 projetos em 2017, incluindo pesquisas ligadas à indústria farmacêutica e trabalhos de conclusão de cursos de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado). Foram produzidos e publicados (ou aceitos para publicação) 48 artigos científicos e dez capítulos de livros.

Ainda de acordo com o relatório, a MEAC tem seu corpo docente constituído por 27 professores na área médica: 13 de Ginecologia e Obstetrícia e 14 de Pediatria, todos com vinculação acadêmica ao Departamento de Saúde Materno-infantil da Universidade Federal do Ceará (UFC), sendo dois professores titulares, dois associados, 20 adjuntos e três assistentes. Quanto à titulação, são 17 doutores e 10 mestres. Além desses, 34 docentes de outras áreas atuam na MEAC: 12 de Enfermagem, três de Medicina, um de Farmácia, três de Fisioterapia, quatro de Nutrição e um de Serviço Social.

 

Conquistas dos últimos anos

2012 – Implementação do acompanhamento do desempenho institucional por meio de indicadores

2013 – 50 anos da MEAC e fortalecimento da gestão por processos e colegiados

2014 – Adesão à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), capacitação dos gestores em gestão por processos e segurança do paciente e implementação do Núcleo Interno de Regulação e da gestão por leitos

2015 – Menção honrosa da Ebserh pelo trabalho em vigilância em saúde e certificação de excelência da Fiocruz ao Banco de Leite Humano

2016 – Credenciamento da MEAC na Rede Sentinela pela Anvisa e reconhecimento da Maternidade como Centro de Apoio em Boas Práticas pelo Ministério da Saúde

2017 – Inauguração da Casa da Gestante, Bebê e Puérpera e das novas instalações do Banco de Leite Humano

 

Como tudo começou

Oficialmente, a campanha em prol da construção da Maternidade Popular (Escola) de Fortaleza foi lançada na capital cearense na noite de 28 de maio de 1955, pelo Senador João de Medeiros Calmon, motivado pela convicção da deficiência da assistência médica à mãe pobre na capital cearense. A Sociedade Pró-Construção da Maternidade Popular, constituída logo nos primeiros dias depois de lançado o movimento e integrada por destacadas personalidades da sociedade cearense, pôde então marcar a data do lançamento da pedra fundamental. Dessa forma, a edificação foi lançada em 3 de março de 1956, em memorável solenidade pública. Começou, então, a segunda etapa da campanha, ou seja, a da construção efetiva do belo e funcional projeto arquitetônico de acordo com a mais moderna técnica hospitalar daquela época.

Ao falar durante o ato solene, o senhor João Calmon anunciou que o Diretor dos Diários Associados, Assis Chateaubriand, resolvera doar, como contribuição pessoal, um posto de puericultura destinado aos filhos das mães pobres que viessem a nascer na maternidade. Com os grandes empresários motivados e conscientes quanto à contribuição social que dariam à capital cearense, marcada com grandes adversidades pelo flagelo da seca, o movimento pró-construção da Maternidade-Escola foi crescendo. No Ceará, era intensa a carência de leitos hospitalares filantrópicos específicos para as gestantes pobres, sobretudo porque, àquela época, não existia o princípio da universalidade, que assegura a todos o direito à saúde.

Sete anos depois, em 14 de dezembro de 1963, ela seria inaugurada e entregue à Universidade Federal do Ceará. Como homenagem aos responsáveis pela campanha, foi denominada Maternidade-Escola Assis Chateaubriand. Apesar de oficialmente inaugurada, somente em janeiro de 1965 ocorreriam nas instalações os primeiros partos. Seu primeiro administrador foi o Professor Dr. José Galba de Araújo.

Decorridos quatro anos, a MEAC passou a ser juridicamente uma empresa privada sem fins lucrativos, decretada de utilidade pública pelo Decreto Lei nº 65027/69, com razão social de Sociedade de Assistência à Maternidade-Escola Assis Chateaubriand. De hospital essencialmente assistencial, passa a ter também funções de ensino, pesquisa e extensão, subsidiando as disciplinas nos cursos da área da saúde da UFC, que envolviam a assistência integral à saúde da mulher e do recém-nascido (RN).

A maternidade iniciou suas atividades com 126 leitos e uma área de construção total de 6.733,65 m2. Hoje sua capacidade instalada total é de 171 leitos e uma área total construída de 10.762,63 m2, assim distribuídos: térreo (4.730,52 m2), primeiro pavimento (2.834,03 m2), segundo pavimento (1.360,21 m2), terceiro pavimento (1.325,80 m2) e quarto pavimento (512,07 m2).

Com o decorrer dos anos, a Maternidade expandiu seus serviços e conquistou a confiança e a credibilidade da comunidade pelos relevantes serviços prestados, passando a ser considerada hospital de referência de média complexidade. Atualmente a MEAC faz parte, junto com o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), do Complexo Hospitalar da UFC, que tem como representante maior o Superintendente dos Hospitais Universitários e compõe a Rede de hospitais vinculados à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Quanto à assistência, está inserida na rede do gestor de saúde estadual e municipal vinculada ao Ministério da Saúde, desenvolvendo atividades de média complexidade na atenção ambulatorial e hospitalar.

Sobre a Ebserh

Desde novembro de 2013, a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand é filiada à Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

 

CONFIRA AS FOTOS!