Notícias Notícias

Voltar

Hospitais da Rede Ebserh oferecem atendimento psicossocial

Dia Mundial da Saúde Mental

Hospitais da Rede Ebserh oferecem atendimento psicossocial

Equipes multiprofissionais envolvem médicos psiquiatras, psicólogos e terapeutas

Brasília (DF) - A assistente administrativa Géssica de Medeiros, 26, encontrou, há dois meses, explicação para o comportamento de sua filha de quatro anos. A pequena Anali Medeiros foi diagnosticada com grau leve de Transtorno do Espectro de Autismo (TEA) pelos serviços de Neuropediatria, de Neuropsiquiatria e de Neuropsicologia do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA). Ela faz o acompanhamento na unidade, localizada em São Luís e filiada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

O diagnóstico não identificou comprometimentos na cognição e na linguagem, apenas no comportamento. “Tudo ficou melhor, o que parecia indisciplina é um problema de saúde, já em tratamento”, explica a mãe, lembrando que a interação social da filha na escola também melhorou.

Em 10 de outubro, comemora-se o Dia Mundial da Saúde Mental. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 50% dos brasileiros poderá vir a apresentar pelo menos um episódio de transtorno mental, no curso de suas vidas. O TEA, problema de Anali, é apenas um entre os vários transtornos ou doenças mentais existentes, como depressão ou dependência química, tratados nos hospitais universitários da Rede Ebserh.

Os hospitais da Rede Ebserh se concentram nas cinco regiões do país e oferecem tratamento psicossocial com equipes multiprofissionais que envolvem médicos psiquiatras, psicólogos e terapeutas. Para iniciar o acompanhamento, é preciso buscar a Unidade de Saúde Básica mais próxima e, após uma triagem, ser encaminhado para alguns dos hospitais que faz o tratamento.

Diversos fatores 

Por definição, saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade. Ela pode ser afetada por vários fatores ou doenças, não necessariamente mentais, como traumas de infância, problemas familiares ou elementos políticos ou sociais. “A saúde mental é uma área de conhecimento que vislumbra aspectos relacionados a abordagem do sujeito do ponto de vista biopsicossocial”, explica João Arnaud Neto, psiquiatra do HU-UFMA.

O hospital mantém ambulatórios gerais de psicologia clínica, além de serviços especializados, como o Ambulatório de Psiquiatria ligado ao Serviço de Cirurgia Bariátrica, o Serviço de Psiquiatria Infantil e o Ambulatório de Sexualidade, responsável pelo acompanhamento de pessoas que se encontram em processo de redesignação sexual.

Qualidade de vida

Hábitos de vida saudáveis são fundamentais para se manter boa saúde mental, como uma alimentação balanceada, atividade física regular e evitar uso de substâncias psicoativas, entre outros fatores, como relata Emerson Nunes, chefe da Unidade de Atenção Psicossocial do Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Huol-UFRN). “É importante investir em cuidado e proteção para as crianças e adolescentes, pois estresses precoces estão muito ligados a adoecimento mental na idade adulta”. O Huol atende cerca de 900 pessoas por mês, em Natal, cidade onde está localizado.

Segundo Nunes, a literatura médica aponta que cerca de 20% dos pacientes internados em um hospital, seja por qual motivo for, fica em algum momento, deprimido. Com base nisso, a Unidade de Atenção Psicossocial do Huol-UFRN instituiu o Protocolo de Detecção Precoce de Depressão e Prevenção ao Suicídio, que consiste em um rastreamento feito em todos os adultos internados no hospital, ficando o médico responsável pelo internamento encarregado de aplicar uma escala de avaliação simples.

“Após identificação positiva, uma equipe de Psicologia avalia o paciente e, caso confirmado o diagnóstico, a Psiquiatria deve avaliar em até 25 horas, reduzindo muito o subdiagnostico e o atraso para detecção de depressão em população que não está internada em leitos especializados da saúde mental”, explica o médico.

Para ele, esse procedimento fortalece a percepção do adoecimento mental como foco da atenção à saúde como um todo, além de aproximar o cuidado da saúde mental dos profissionais de outras áreas e da população como um todo. “Cuidado integrado e compartilhado em Saúde Mental é peça chave na diminuição do estigma e do preconceito quando ao adoecimento mental”, conclui.

Sobre a Ebserh

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) é uma estatal vinculada ao Ministério da Educação, que administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh