Relatos de Quem Cuida Relatos de Quem Cuida

O projeto “Relatos de quem cuida” apresenta histórias de atendimentos de saúde marcantes na vida dos profissionais da Rede Ebserh. É o trabalho de pessoas que se dedicam para mudar a vida de quem mais precisa!

Voltar

“O prognóstico era de que dona Francisca não sobreviveria”

Relatos de quem cuida

“O prognóstico era de que dona Francisca não sobreviveria”

Imagem

Em janeiro deste ano, Dona Francisca fez uma cirurgia no Hospital Universitário da UFMA para perda de peso que chamamos de sleeve. O pós-operatório foi tranquilo, a evolução foi padrão. Entretanto, complicação podem acontecer em qualquer procedimento. Duas semanas após a alta, ela me ligou e disse que estava sentindo muita dor no peito esquerdo. Me preocupou a possibilidade de ser uma complicação, como um infarto. Sugeri que ela procurasse imediatamente o serviço de urgência, enquanto aguardava o leito.

Francisca chegou no hospital em cadeira de rodas e logo percebi a dimensão da gravidade do seu quadro. Sua frequência cardíaca estava alta, estava extremamente desidratada, a pressão muito baixa e sentia muita dor no abdômen. Duas horas após a tomografia, estava sendo operada. Havia uma grande quantidade de secreção purulenta em toda a área.

Os exames mostravam também que ela apresentava uma insuficiência renal. Ficou entubada, com ventilação mecânica, precisou usar droga vasoativa. O certo é que ela foi para a UTI em estado gravíssimo. Naquele cenário, o prognóstico era de que talvez não sobreviveria. Ela tinha uma infecção grave, com falência orgânica instalada, falência cardiovascular, falência respiratória, falência hemodinâmica e uma infecção intra-abdominal.

Dois dias depois ao chegar na UTI, perguntei: “Dona Francisca como a senhora está?” Ela olhou para mim fez o sinal de positivo. “A senhora entendeu minha pergunta?”, insisti. Fez o sinal de positivo novamente. Eu nem acreditei na positividade dela! Ela é muito otimista.

Nos dedicamos muito, como fazemos com todos os nossos pacientes. E gradativamente, Dona Francisca foi melhorando. O otimismo dela fez uma enorme diferença. Foram dois meses de internação, dez dias de UTI. Proporcional à gravidade de quadro, era a confiança e o carinho que ela tinha por mim. Hoje, ela está muito bem. Saímos vitoriosos dessa batalha e temos mesmo uma relação de amizade.

Ela é uma das voluntárias do Serviço de Cirurgia Bariátrica e, quando participa das reuniões, sempre dá o testemunho de gratidão enorme pelo hospital. Eu tive a oportunidade de participar desse plano de Deus para a vida dela. Ser ferramenta Dele é um privilégio. Para mim, a fé ajuda bastante.

Waston Gonçalves Ribeiro
Cirurgião do Serviço de Cirurgia Bariátrica do HU-UFMA

Sobre a Ebserh

Desde janeiro de 2013, o HU-UFMA é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação, que administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.